Edição do dia

Domingo, 21 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
24.9 ° C
24.9 °
24.9 °
94 %
5.1kmh
20 %
Sáb
26 °
Dom
26 °
Seg
25 °
Ter
25 °
Qua
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeMais de 100 representantes reúnem-se pela construção da Plataforma Sino-Lusófona

      Mais de 100 representantes reúnem-se pela construção da Plataforma Sino-Lusófona

      O evento sobre o assunto, promovido pelo Governo da RAEM e pelo Governo Central, teve lugar este domingo e contou com um fórum temático, uma sessão de discussão e um encontro de cooperação presencial. Big health, criatividade cultural, comércio electrónico, comércio e restauração estiveram em destaque na discussão que contou com mais de 100 representantes governamentais e de empresas da China continental e de Macau.

      O Fórum Temático e Encontro de Cooperação “Plataforma de Macau – Encontro Sino-Lusófono”, co-organizado pelo Ministério do Comércio da China e pelo Governo da RAEM, realizou-se no passado domingo, dia 6 de Novembro, e contou com um fórum temático, uma sessão de discussão e um encontro de cooperação presencial. Mais de 100 representantes governamentais e de empresas da China continental e de Macau marcaram presença, revelou ontem, em nota de imprensa, o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM).

      No evento, várias empresas participantes do interior da China tiveram encontros com as empresas de Macau. Refere a mesma nota de imprensa que “algumas empresas referiram ter aproveitado a oportunidade para conhecer melhor as vantagens geográficas e políticas de Macau, acreditando que poderiam estender a sua rede comercial com a ajuda da Plataforma Sino-Lusófona e da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin.

      O adjunto do Ministro do Comércio da República Popular da China, Li Fei, referiu, na sua intervenção, que o seu ministério irá continuar a apoiar Macau na construção da Plataforma entre a China e os Países de Língua Portuguesa, promovendo a cooperação contínua e sólida entre as partes em vários domínios. Em primeiro lugar, irá continuar a reforçar a construção dos Três Centros e desenvolver plenamente as funções da Plataforma Sino-Lusófona. Em segundo lugar, irá aprofundar a cooperação mais ampla entre a China e os Países de Língua Portuguesa e enriquecer o conteúdo da Plataforma. Em terceiro, irá apoiar a construção da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin, no sentido de potenciar os serviços da plataforma.”

      Já o secretário para a Economia e Finanças do Governo de Macau, Lei Wai Nong, num discurso em vídeo, afirmou que “com a orientação e o apoio do Governo Central, bem como a participação conjunta dos Países de Língua Portuguesa, a construção da Plataforma Sino-Lusófona em Macau alcançou bons progressos, tendo sido basicamente formada uma plataforma de serviços integrados vocacionada principalmente para serviços de cooperação económica e comercial e para as áreas da investigação científica, da medicina tradicional chinesa, da cultura, do turismo, das convenções e exposições, do comércio, das finanças e do empreendedorismo jovem, as quais se têm desenvolvido sinergicamente e progredido em conjunto.

      Nesse sentido, acrescentou o governante local, “a plataforma é favorável à construção de pontes para a cooperação entre províncias e cidades parceiras do interior da China e os Países de Língua Portuguesa, à expansão da cooperação bilateral e multilateral, à criação de mais projectos de crescimento e cooperação e à prestação de serviços mais personalizados.

      No mesmo fórum temático, o secretário-geral do Secretariado Permanente do Fóurm de Macau, Ji Xianzheng, a Embaixadora de Moçambique na China, Maria Gustava, e o membro do Conselho Executivo da RAEM e presidente da Direcção da Associação Comercial de Macau, Ma Chi Ngai, proferiram palestras em torno do tema “Plataforma de Macau – Encontro Sino-Lusófono”, durante as quais apresentaram, respectivamente, as vantagens de posicionamento e construção da plataforma entre a China e os Países de Língua Portuguesa e o ambiente de negócios dos países lusófonos.

      PARTILHA DE EXPERIÊNCIAS PRÁTICAS

      Em relação à sessão de discussão, sob o tema “Contribuir para o crescimento das PME e aprofundar o desenvolvimento económico e comercial da China e dos Países de Língua Portuguesa” e presidida pelo presidente substituto do IPIM, Vincent U, foram convidados o Chefe da Divisão de Promoção de Investimento da Direcção dos Serviços de Desenvolvimento Económico da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin, Zhang Weifeng, a Vice-Presidente da Associação dos Construtores Civis Internacionais da China, Yu Xiaohong e a Directora-Geral da Empresa de Gestão do Fundo de Cooperação para o Desenvolvimento China–Países de Língua Portuguesa, Li Na, para apresentarem as políticas comerciais, oportunidades de negócio, entre outros.

      Por outro lado, três representantes das empresas classificadas no “Top 500 Chinese Enterprises” partilharam as suas experiências práticas. Mais de 40 representantes de empresas do interior da China foram convidados a participar neste evento, abrangendo áreas como big health, criatividade cultural, comércio electrónico, comércio e restauração.