Edição do dia

Terça-feira, 25 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens quebradas
30.4 ° C
30.4 °
30.4 °
78 %
6.5kmh
83 %
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioÁsiaEx-deputado do partido de Suu Kyi condenado a 173 anos de prisão

      Ex-deputado do partido de Suu Kyi condenado a 173 anos de prisão

      Um tribunal de Myanmar governado por militares, condenou um ex-deputado do partido da líder deposta Aung San Suu Kyi a 148 anos de prisão por terrorismo, somando-se a uma pena 25 anos por outras condenações. Win Myint Hlain, de 52 anos, foi considerado culpado de oito crimes sob a Lei de Combate ao Terrorismo, disse uma fonte familiarizada com o processo sob condição de anonimato com receio de ser detida. Alguns dos incidentes pelos quais foi condenado ocorreram enquanto o antigo parlamentar já estava na prisão, indicou a mesma fonte. Win Myint Hlain já havia sido condenado em Março, Abril e Junho por um tribunal por cinco crimes, envolvendo incitação e terrorismo, pelos quais recebeu sentenças que totalizam 25 anos de cadeia. Os prisioneiros de longa duração na prisão de Magway, incluindo Win Myint Hlaing, são mantidos algemados, disse à agência de notícias Associated Press (AP) uma fonte próxima do estabelecimento prisional. A condenação dada a Win Myint Hlaing, na segunda-feira, parecia ser a mais longa dada a qualquer membro do Governo e do partido de Aung San Suu Kyi, detida após o golpe de Estado militar de 1 de Fevereiro de 2021. No entanto, as autoridades executaram pelo menos quatro activistas políticos que foram condenados por terrorismo. Win Myint Hlaing venceu as eleições para o parlamento local da região de Magway, no coração central de Myanmar, em 2015, mas não se candidatou nas eleições de 2020. O deputado participou nos protestos antimilitares antes de ser preso no município de Yaksawk, no leste do estado de Shan, em novembro do ano passado. A residência de Win Myint Hlaing foi tomada pelas forças de segurança um dia após a sua detenção, forçando a sua família a fugir. Entre outras coisas, a imprensa estatal controlada pelos militares disse que Win Myint Hlaing recolheu armas e munições e apoiou uma força de defesa local que atacou um estabelecimento de ensino, bancos e esquadras policiais com bombas na sua luta contra o Exército. O partido da Liga Nacional para a Democracia, de Suu Kyi, adiantou numa declaração em maio que 917 funcionários e membros do partido foram detidos e 701 ainda estão a ser presos pelos militares. Suu Kyi já foi condenada por várias acusações e sentenciada a 26 anos de prisão. Os seus apoiantes dizem que as acusações foram fabricadas para a desacreditar e a impedir de participar nas próximas eleições, que os militares prometeram para 2023.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau