Edição do dia

Quarta-feira, 7 de Dezembro, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu limpo
19.9 ° C
20.9 °
19.9 °
68 %
6.2kmh
0 %
Qua
20 °
Qui
22 °
Sex
22 °
Sáb
22 °
Dom
21 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Cultura Gonçalo Lobo Pinheiro mostra como Macau mudou ao longo dos anos em...

      Gonçalo Lobo Pinheiro mostra como Macau mudou ao longo dos anos em exposição e livro

      Gonçalo Lobo Pinheiro, fotojornalista do PONTO FINAL, apresenta “O que foi não volta a ser…”, um projecto fotográfico que acompanha a evolução de Macau ao longo das décadas. O resultado final é editado em livro e será exibido numa exposição na galeria da Fundação Rui Cunha, a partir de 15 de Novembro.

      O fotógrafo, radicado em Macau há mais de 12 anos, juntou, ao longo de mais de um ano, fotografias antigas de Macau – captadas a preto e branco, entre os anos de 1930 e 1990 – mostrando como é hoje em dia o local preciso onde foram tiradas. “Este livro e uma exposição representam um encontro entre o passado e o presente”, diz o fotógrafo, citado em nota de imprensa.

      “O que foi não volta a ser…” acompanha, então, a evolução do território ao longo das últimas décadas. “Imaginem fotografias captadas há 70 ou 80 anos. E agora, o que fazer com elas? Se, por um lado, ainda é possível recriar alguns cenários, por outro lado, é impossível obter pontos de contactos noutras fotografias, porque simplesmente as coisas já não existem no território. Tudo mudou. Por isso, na grande maioria dos casos, o que foi não volta a ser”, destaca Lobo Pinheiro.

      O fotojornalista considera que este é um projecto “muito importante” dado que “Macau mudou muito nos últimos 50 anos”. “A minha intenção também é mostrar essas mudanças a partir de uma narrativa diferente, colocando fotos antigas em novos lugares”, explica.

      O livro, patrocinado pelo Banco Nacional Ultramarino (BNU), terá o prefácio da jurista e política portuguesa Maria de Belém Roseira, antiga Ministra da Saúde e Ministra para a Igualdade, igualmente deputada à Assembleia da República Portuguesa, que passou por Macau durante os anos de 1980, onde foi administradora da TDM – Teledifusão de Macau.