Edição do dia

Segunda-feira, 24 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
29 ° C
29.9 °
28.9 °
89 %
4.6kmh
40 %
Seg
29 °
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioEconomiaDSEC revela que há menos agências de viagens em Macau. Receitas aumentaram

      DSEC revela que há menos agências de viagens em Macau. Receitas aumentaram

      Dados estatísticos referentes a 2021 mostram que existiam 184 agências de viagens em actividade, isto é, menos 16, face a 2020. O pessoal ao serviço totalizou 2.774 pessoas, menos 985, em termos anuais. As receitas deste sector fixaram-se em 2,02 mil milhões de patacas, observando-se um acréscimo ligeiro de 0,7%, em termos anuais, porém, as despesas baixaram 1,6%, cifrando-se em 2,14 mil milhões de patacas, informou a Direcção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC).

      No ano em análise as receitas das agências de viagens provenientes dos serviços de reservas de quartos (682 milhões de patacas) e dos bilhetes de transporte de passageiros (399 milhões) aumentaram 18,9% e 21,2%, respectivamente, face a 2020, devido aos visitantes e residentes de Macau terem procurado mais as agências de viagens para adquirirem serviços de transporte e de alojamento. As receitas oriundas do aluguer de automóveis de turismo com motorista (476 milhões de patacas) subiram ligeiramente (0,8%) em termos anuais, porém, as das excursões (206 milhões) desceram 36,7%.

      Quanto às despesas das agências de viagens, as efectuadas em compras de bens/serviços e comissões cifraram-se em 1,29 mil milhões de patacas, mais 8,2%, face a 2020. Destaca-se que as despesas em serviços de reservas de quartos (646 milhões) e em bilhetes de transporte de passageiros (402 milhões) aumentaram 16,5% e 14,8%, respectivamente, em termos anuais, contudo, as despesas em excursões (161 milhões) diminuíram 24,5%. As despesas com pessoal corresponderam a 423 milhões de patacas, menos 23,4%, em termos anuais e as despesas de exploração fixaram-se em 422 milhões, descendo ligeiramente (0,8%).

      Em 2021 o excedente bruto do sector registou um défice de 119 milhões de patacas, estreitando-se face ao de 2020 (menos 186 milhões). O valor acrescentado bruto, que reflecte o contributo económico do sector, foi de 303 milhões de patacas, menos 17,1%, em termos anuais. Além disso, a formação bruta de capital fixo do sector cifrou-se em 41,35 milhões, mais 74%, em termos anuais, devido às agências de viagens terem adquirido mais veículos.

      Analisando as agências de viagens por dimensão, o número de agências de viagens que tinham ao serviço menos de 10 pessoas foi de 119. As receitas das agências desta dimensão eram provenientes principalmente dos bilhetes de transporte de passageiros (40,5% do total) e das excursões (23,6%). Havia 50 agências de viagens que tinham ao serviço entre 10 e 29 pessoas e 5 agências que tinham ao serviço entre 30 e 49 pessoas. Observou-se que as receitas provenientes dos serviços de reservas de quartos representaram 59,7% e 58,8% das receitas das agências destas dimensões, respectivamente. Por seu turno, existiam 10 agências de viagens que tinham ao serviço 50 ou mais pessoas, verificando-se que as receitas provenientes do aluguer de automóveis de turismo com motorista representaram 50,8% das receitas das agências desta dimensão.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau