Edição do dia

Sábado, 20 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
trovoada com chuva
26.9 ° C
26.9 °
24.9 °
89 %
2.1kmh
40 %
Sáb
27 °
Dom
27 °
Seg
24 °
Ter
24 °
Qua
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioLusofoniaUniversidade do Porto recebe fundos para estimular mobilidade. Macau entra na equação

      Universidade do Porto recebe fundos para estimular mobilidade. Macau entra na equação

      A Universidade do Porto (U.Porto) recebeu cerca de 4,5 milhões de euros da Comissão Europeia para estimular a mobilidade de estudantes, pessoal docente e não docente em 55 países e regiões. A RAEM, bem como toda a China continental, é um dos locais contemplados pelo programa.

      A Universidade do Porto (U.Porto) acaba de ver aprovadas sete candidaturas ao abrigo da edição deste ano do programa Erasmus+, que está a celebrar 35 anos de existência. Os projectos agora aprovados pela Comissão Europeia representam um financiamento superior a 4,5 milhões de euros (cerca de 36 milhões de patacas), valor que vai permitir fomentar a mobilidade de mais de 1.500 estudantes e pessoal docente e não docente, com instituições de todo o mundo, já este ano lectivo, anunciou a instituição de ensino superior em nota de imprensa publicada na sua página na Internet.

      Dos sete projectos, a U.Porto será responsável pela coordenação de três, intitulados Luso 22, Work4All e Mobile 22 e que correspondem a 3,8 milhões de euros (cerca de 30 milhões de patacas) do financiamento total atribuído pela Comissão Europeia.

      Esses três projectos vão financiar 1.529 mobilidades, tanto de estudantes, recém-diplomados, docentes e técnicos da universidade em mais de 55 países e regiões em todo o mundo. Além de países europeus, os projectos vão permitir a mobilidade em países africanos como Argélia, Cabo Verde, Egipto, Marrocos, Moçambique e Senegal, americanos como Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Estados Unidos da América e asiáticos como China, Coreia do Sul, Índia, Japão, Jordânia, Macau, Uzbequistão e Vietname.

      A universidade é ainda parceira em mais quatro projectos, intitulados Unorte, AULP, JAMIES e Merging Voices, cujo financiamento ascende a 600 mil euros (cerca de 4,8 milhões de patacas).

      Citada na nota, a vice-reitora para as Relações Internacionais, Responsabilidade Social e Desporto da U.Porto, Maria Joana Carvalho, salienta que “o número de fluxos e financiamento aprovados reflecte todo o trabalho desenvolvido pela U.Porto no sentido de reforçar o seu processo de internacionalização e a sua visibilidade na Europa e no mundo, contribuindo igualmente para a disseminação da excelência promovida pelo próprio Programa Erasmus+”.

      A responsável acrescenta que além de permitirem fortalecer as relações de cooperação estabelecidas com centenas de Instituições de Ensino Superior, estes projectos representam uma oportunidade, em particular para os técnicos e docentes da instituição de obterem formação no estrangeiro, partilharem boas práticas e experiências. Serve para “acrescentar à formação de excelência que a Universidade lhes proporciona algo que os torne únicos e os dote das competências e soft skills necessárias para serem bem-sucedidos académica e profissionalmente”, assumindo que a iniciativa “se vai traduzir em impactos muito positivos para a U.Porto ao nível, por exemplo, da inovação pedagógica e curricular da oferta formativa”.

      A U.Porto viu ainda aprovada a candidatura a 15 Programas Intensivos Mistos (BIPs) que vão permitir a implementação de, pelo menos, 300 mobilidades mistas, isto é, os participantes vão realizar parte da mobilidade online e terão também uma componente presencial (com uma duração entre cinco a 30 dias) a decorrer na cidade do Porto.

      Para Maria Joana Carvalho, “esta nova oportunidade é valiosa para grupos de estudantes de contextos mais desfavorecidos que contam com menor acesso à possibilidade de realização de uma mobilidade internacional tradicional/de longa duração e contribui para a criação de um programa Erasmus+ cada vez mais inclusivo”.