Edição do dia

Sábado, 20 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
trovoada com chuva
26.9 ° C
26.9 °
24.9 °
89 %
2.1kmh
40 %
Sáb
27 °
Dom
27 °
Seg
24 °
Ter
24 °
Qua
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioInternacionalBritânicos pedem estabilidade depois de semanas “atribuladas”

      Britânicos pedem estabilidade depois de semanas “atribuladas”

      Depois de Joe Biden ter classificado como “revolucionária” a nomeação de Sunak para primeiro-ministro do Reino Unido, o PONTO FINAL foi ouvir alguns britânicos sobre a escolha. O cônsul-geral honorário do Reino Unido em Macau, Glenn McCartney, pede “estabilidade” e “união”. Já o músico Michael Kirby admite não conhecer o novo primeiro-ministro. A agente imobiliária Suzanne Watkinson lembra o “carisma” que Sunak tem com apenas 42 anos.

      O político conservador Rishi Sunak foi o escolhido para suceder a Liz Truss como primeiro-ministro do Reino Unido. Procurámos saber junto de alguns elementos da comunidade britânica se a escolha foi a mais acertada. O cônsul-geral honorário do Reino Unido em Macau considera que, mais do que esta ou aquela escolha, o que os britânicos precisam é de estabilidade. “Sunak tem falado dessa estabilidade, dessa união que precisamos, acima de tudo, depois de semanas atribuladas. Ele precisa das pessoas e as pessoas têm de estar com ele”, começou por dizer Glenn McCartney.

      Para o professor universitário as palavras de ordem neste momento são mesmo “estabilidade” e “união”. “Estabilidade é a palavra agora, principalmente em termos económicos. A verdade é que todos os olhos do Reino Unido, e não só, estão postos nele.”

      Instado a comentar o facto de ser o primeiro não-branco e descendente de famílias indianas a chegar a Downing Street, Glenn McCartney desvalorizou o facto. “O ser descendente de indianos ou não ser branco não é problema algum. Ele é precisamente reflexo do Reino Unido e do mundo globalizado. O importante é que faça um bom trabalho, que tenha uma boa performance”, desejou.

      E o que dirá Carlos III a Rishi Sunak? “Não sei, mas vaticino que lhe peça estabilidade. Acredito que o rei enumere algumas prioridades que, muito possivelmente, ficaremos a saber nos próximos dias quando a casa real e o gabinete do primeiro-ministro emitirem os respectivos comunicados”, referiu, acrescentando que o Reino Unido, e também o mundo, está a passar por um momento histórico por diversas razões. “É histórico, sem dúvida, pois o Reino Unido tem um novo rei e um novo primeiro-ministro”.

      Numa breve declaração, a directora-executiva da Ambiente Properties destacou a “inteligência e o carisma” de quem “tem muita experiência em questões de índole económica e financeira” com apenas 42 anos, que “é o que o Reino Unido precisa neste momento, uma pessoa “jovem e energética”. “Acredito que ‘Dishy Rishi’ se tornará um excelente primeiro-ministro e eu desejo-lhe tudo de bom”, afirmou Suzanne Watkinson.

      O músico Michael Kirby pouco sabe sobre o conservador, que é mais rico que a própria Família Real. “Confesso que não sei muito sobre Rishi Sunak, mas depois do desastre que o número 10 [Downing Street] teve recentemente, talvez ele seja a única opção”, afirmou, deixando a ideia de que um possível regresso de Boris Johnson teria sido melhor opção. “Teria preferido o regresso de Boris Johnson, pois pelo menos tem experiência e liderou o país através do processo do Brexit e da pandemia de Covid-19. Foi um erro livrarem-se dele e agora esse erro piorou as coisas, como também mostrou como os políticos estão interessados apenas nas suas agendas pessoais. Thatcher, por exemplo, foi outra vítima disso também, ela que é um dos meus heróis juntamente com Churchill”, revelou.

      Kirby não tem a certeza de que Sunak seja a pessoa certa para o lugar, mas dá o benefício da dúvida ao antigo Secretário-chefe do Tesouro. “Vamos ver o que ele faz, pois ninguém sabe quais são, na verdade, os seus planos. Espero que faça um bom trabalho e leve o Reino Unido de volta ao lugar onde deveria estar”, desejou o músico, que considerou se, por um lado, “o novo rei é uma aposta segura, pois todos o conhecemos”, já o novo primeiro-ministro ainda tem muito que provar”.

      O novo líder do Partido Conservador, Rishi Sunak, foi indigitado primeiro-ministro britânico esta terça-feira pelo Rei Carlos III, ficando agora encarregado de formar Governo enquanto líder do partido com a maioria parlamentar.

      Liz Truss ainda presidiu a uma reunião do Conselho de Ministros e, no final, fez uma declaração à porta da residência oficial, em Downing Street, antes de se deslocar para o Palácio de Buckingham, onde formalizou a demissão de primeira-ministra.

      Depois de indigitado, o novo primeiro-ministro deslocou-se então para Downing Street, onde fez uma declaração no exterior, antes de entrar para começar a trabalhar e nomear alguns dos ministros. Em declarações à comunicação social britânica, Rishi Sunak manifestou “humildade e honra” ao ser declarado líder do Partido Conservador, prometendo “estabilidade e unidade” numa altura em que o Reino Unido enfrenta “um grande desafio económico”. “O Reino Unido é um grande país. Mas não há dúvida de que enfrentamos um profundo desafio económico. Precisamos agora de estabilidade e unidade. E eu farei a minha maior prioridade unir o nosso partido e o nosso país”, continuou.

      Sunak, de 42 anos e descendente de imigrantes indianos, será o terceiro primeiro-ministro do Reino Unido em sete semanas, depois de Boris Johnson e Liz Truss, o mais novo desde 1783 e o primeiro britânico não-branco a ocupar o cargo. Liz Truss felicitou o sucessor e prometeu apoiar Rishi Sunak.