Edição do dia

Terça-feira, 25 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva moderada
34.3 ° C
34.3 °
34.3 °
77 %
6.1kmh
90 %
Ter
34 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaPM chinês aponta para recuperação da economia do país no terceiro trimestre

      PM chinês aponta para recuperação da economia do país no terceiro trimestre

      O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, assegurou ontem que a economia da China está a recuperar, após o abrandamento suscitado pelas medidas de prevenção epidémica, e pediu políticas que favoreçam o crescimento, segundo a imprensa oficial.

       

      Li Keqiang, primeiro-ministro chinês, referiu ontem que a economia chinesa está em recuperação e pediu políticas que favoreçam o crescimento. As declarações de Li foram feitas durante uma reunião com delegados regionais, no âmbito do 20º Congresso do Partido Comunista Chinês (PCC), que se realiza esta semana, em Pequim, e que deve reforçar o estatuto do actual secretário-geral da organização, Xi Jinping. O primeiro-ministro assegurou que a aplicação de políticas que promovam o crescimento vai manter a economia a funcionar.

      Durante a cimeira, Li, que vai deixar o cargo em março próximo, apelou a uma “melhoria e expansão adequada” da economia chinesa, reafirmando o seu compromisso com o processo de “reforma e abertura”, a fórmula que permitiu que a China registasse altas taxas de crescimento económico nas últimas décadas. Li enfatizou a importância de realizar reformas no sistema para “desenvolver uma economia de mercado socialista” e “criar condições para garantir uma concorrência justa no mercado”, destacando a necessidade de “promover uma abertura de alto nível”.

      A avaliação positiva do primeiro-ministro sobre a economia chinesa surge no mesmo dia em que o Gabinete Nacional de Estatísticas da China adiou a publicação dos dados do Produto Interno Bruto relativos ao terceiro trimestre, sem qualquer explicação.

      A Administração Geral das Alfândegas já tinha faltado ao compromisso de publicar os dados relativos ao comércio externo de Setembro, na passada sexta-feira.

      Nesta segunda-feira, o vice-director da Comissão Nacional para a Reforma e Desenvolvimento – o órgão máximo de planeamento económico do país -, Zhao Chenxin, também referiu uma “notável tendência de recuperação” da economia, durante o terceiro trimestre, embora não tenha fornecido números.

      Pequim estabeleceu, em Março passado, uma meta de crescimento de 5,5% para este ano – a menor das últimas décadas, mas, segundo analistas, muito ambiciosa face ao contexto actual.

      No segundo trimestre do ano, a Ómicron, uma variante da covid-19 considerada altamente contagiosa, obrigou as autoridades chinesas a impor medidas de confinamento extremas, para salvaguardar a estratégia de ‘zero casos’, assumida como um triunfo político por Xi Jinping.

      Períodos de isolamento impostos em Xangai e em importantes cidades industriais como Changchun e Guangzhou, tiveram forte impacto nos sectores serviços, manufactureiro e logístico. O Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial previram que a economia chinesa cresça 3,2% e 2,8%, este ano, respectivamente. Lusa

       

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau