Edição do dia

Quarta-feira, 17 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.5 ° C
29.8 °
26.9 °
94 %
3.1kmh
40 %
Qua
28 °
Qui
28 °
Sex
28 °
Sáb
28 °
Dom
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaChina recruta antigos pilotos da Força Aérea britânica para treinar Exército

      China recruta antigos pilotos da Força Aérea britânica para treinar Exército

      A China recrutou cerca de 30 pilotos aposentados da Força Aérea britânica, alguns dos quais pilotavam caças sofisticados, para treinar membros do Exército de Libertação Popular, afirmou ontem o ministério da Defesa britânico, prometendo combater a prática.

      Em comunicado, o ministério acrescentou que os actuais e antigos pilotos “já estão sujeitos à Lei dos Segredos Oficiais” e acrescentou que o “uso de contratos de confidencialidade está a ser revisto”, enquanto a nova lei de segurança interna do Reino Único “vai criar ferramentas adicionais para erradicar desafios de segurança contemporâneos, como este”.

      Os pilotos, alguns com idade acima dos 50 anos e há muito aposentados do Exército, têm experiência em pilotar jatos e helicópteros velozes e uma variedade de aviões de guerra da geração anterior, como Typhoons, Jaguars, Harriers e Tornados. Nenhum dos pilotos recrutados pela China operou o F-35, o caça mais avançado e caro da frota britânica.

      As autoridades chinesas terão negociado os contratos por meio de intermediários, entre os quais uma academia de pilotagem com sede na África do Sul. O recrutamento, que o ministério britânico diz ser anterior à pandemia da covid-19, ganhou força nos últimos meses. Entre os pilotos britânicos estão ex-membros da Royal Air Force e outros ramos das Forças Armadas.

      Um porta-voz do ministério da Defesa britânico, citado pelo jornal The New York Times, salientou que estão a ser tomadas “medidas decisivas” para travar o recrutamento de ex-pilotos e pilotos ativos do Exército britânico. Nenhum dos pilotos aposentados é suspeito de violar a Lei de Segredos Oficiais, que cobre espionagem, sabotagem e outros crimes.

      O Reino Unido carece, no entanto, de ferramentas legais para impedir que pilotos aposentados aceitem contratos para treinar o exército chinês. Os contratos ascendem a cerca de 270.000 dólares por ano.

      Embora os pilotos treinem os colegas chineses em aviões desenvolvidos pela China, os chineses estão ansiosos para aprender sobre as táticas e procedimentos britânicos e ocidentais, de acordo com o funcionário.

      As relações entre o Reino Unido e a China deterioraram-se nos últimos anos, com o governo de Londres a denunciar a campanha repressiva lançada por Pequim contra activistas pró-democracia em Hong Kong, uma antiga colónia britânica. Em Julho de 2020, o governo do primeiro-ministro Boris Johnson proibiu a compra de equipamentos da Huawei, a gigante chinesa de telecomunicações, para as infraestruturas do país, por motivos de segurança nacional.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau