Edição do dia

Sábado, 20 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
trovoada com chuva
26.9 ° C
26.9 °
24.9 °
89 %
2.1kmh
40 %
Sáb
27 °
Dom
27 °
Seg
24 °
Ter
24 °
Qua
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioInternacionalZelensky garante que ataques como os de Zaporijia não ficarão impunes

      Zelensky garante que ataques como os de Zaporijia não ficarão impunes

      O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, garantiu ontem que atentados com dezenas de mortos como os dos últimos dias contra Zaporijia, no sudeste da Ucrânia, não ficarão impunes. “Desde quem dá a ordem a todos aqueles que a executam, todos serão responsabilizados. Isto com toda a certeza e perante a lei e perante o povo”, escreveu Zelensky numa mensagem na rede social Facebook que está a ser partilhada por agências ucranianas. O presidente ucraniano lamentou que Zaporijia esteja “novamente a ser alvo de ataques contra civis”. Pelo menos 17 pessoas morreram na cidade ucraniana de Zaporijia, na sequência de um ataque com mísseis realizado pelas forças russas, informou ontem o autarca local. “Como resultado do ataque […] vários edifícios de ap

      Zelensky garante que ataques como os de Zaporijia não ficarão impunes

       

      O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, garantiu ontem que atentados com dezenas de mortos como os dos últimos dias contra Zaporijia, no sudeste da Ucrânia, não ficarão impunes. “Desde quem dá a ordem a todos aqueles que a executam, todos serão responsabilizados. Isto com toda a certeza e perante a lei e perante o povo”, escreveu Zelensky numa mensagem na rede social Facebook que está a ser partilhada por agências ucranianas. O presidente ucraniano lamentou que Zaporijia esteja “novamente a ser alvo de ataques contra civis”. Pelo menos 17 pessoas morreram na cidade ucraniana de Zaporijia, na sequência de um ataque com mísseis realizado pelas forças russas, informou ontem o autarca local. “Como resultado do ataque […] vários edifícios de apartamentos e algumas ruas residenciais da cidade foram danificados. De acordo com dados preliminares, cinco casas foram destruídas e cerca de 40 pessoas foram feridas. Neste momento, sabe-se que 17 pessoas foram mortas”, escreveu o presidente da câmara interino, Anatoly Kurtev, na plataforma de mensagens Telegram, avançou a agência de notícias Ukrinform. O exército russo bombardeou ontem com dez mísseis a cidade onde está localizada a principal central nuclear da Ucrânia, segundo o chefe da administração militar regional de Zaporijia, Oleksandr Starukh. Zelenskky fala de “mesquinhez e maldade absolutas” e descreve as tropas russas como “terroristas selvagens”. Zaporijia, que fica no sudeste da Ucrânia, tinha sido alvo na quinta-feira de um ataque com mísseis S-300 que fez 19 mortos, segundo o último balanço das autoridades. Soma-se o ataque com mísseis contra um comboio humanitário que data de 30 de Setembro. As tropas russas são acusadas por Kiev de terem causado a morte, nesse ataque, de 31 pessoas, número que subiu no sábado para 32 após a morte de um dos feridos que permanecia hospitalizado.

       

      artamentos e algumas ruas residenciais da cidade foram danificados. De acordo com dados preliminares, cinco casas foram destruídas e cerca de 40 pessoas foram feridas. Neste momento, sabe-se que 17 pessoas foram mortas”, escreveu o presidente da câmara interino, Anatoly Kurtev, na plataforma de mensagens Telegram, avançou a agência de notícias Ukrinform. O exército russo bombardeou ontem com dez mísseis a cidade onde está localizada a principal central nuclear da Ucrânia, segundo o chefe da administração militar regional de Zaporijia, Oleksandr Starukh. Zelenskky fala de “mesquinhez e maldade absolutas” e descreve as tropas russas como “terroristas selvagens”. Zaporijia, que fica no sudeste da Ucrânia, tinha sido alvo na quinta-feira de um ataque com mísseis S-300 que fez 19 mortos, segundo o último balanço das autoridades. Soma-se o ataque com mísseis contra um comboio humanitário que data de 30 de Setembro. As tropas russas são acusadas por Kiev de terem causado a morte, nesse ataque, de 31 pessoas, número que subiu no sábado para 32 após a morte de um dos feridos que permanecia hospitalizado.

       

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau