Edição do dia

Quinta-feira, 23 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
25.8 ° C
25.9 °
24.9 °
89 %
3.1kmh
40 %
Qui
26 °
Sex
26 °
Sáb
26 °
Dom
28 °
Seg
29 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioCulturaItaliano Franco Dragone morreu aos 69 anos

      Italiano Franco Dragone morreu aos 69 anos

      Considerado um dos maiores directores de entretenimento do mundo, Franco Dragone morreu no passado dia 30 de Setembro, no Egipto, aos 69 anos, vítima de ataque cardíaco.

      Dragone foi o criador de muitos espectáculos do famoso Cirque du Soleil, transformando-os em um sucesso global. Começou por ter sucesso em Las Vegas, nos EUA, mas o italiano também haveria de deixar o seu nome escrito em Macau quando, em 2010, criou o espectáculo “The House of Dancing Water”, no City of Dreams, que permaneceu em cena até Junho de 2020. Em 2012, também apresentou a produção burlesaca “Taboo”, na discoteca Cubic, que estrelava, entre outras, a famosa Lucky Hell, uma engolidora de espadas.

      Recorde-se que o espectáculo “The House of Dancing Water”, que registou uma assistência de mais de seis milhões de pessoas, foi cancelado devido à pandemia de Covid-19, tendo sido avançada a data de Janeiro de 2021 para a sua reactivação, algo que não veio a acontecer. Durante esse tempo, mais de 70 funcionários ligados ao espectáculo foram dispensados pela empresa, enquanto outros receberam um corte de 50% do salário durante pelo menos quatro meses, não exercendo funções durante esse período.

      Apesar de ter nascido em Itália, foi viver, muito ainda durante a infância, para a Bélgica. Depois, mais tarde, ingressou no Cirque du Soleil em 1982 em Montreal, no Canadá, onde a empresa havia sido criada.

      Em 2000, deixou o circo para trás e ampliou o seu alcance, assumindo projectos como o que fez com a cantora Celine Dion, bem como apostando na sua própria empresa para produzir espectáculos. Contudo, em 2012, foi investigado por suspeita de fraude fiscal, lavagem de dinheiro e corrupção. A investigação arrastou-se por oito anos, quando o promotor pediu que fosse enviado para julgamento. Em 2020, Dragone foi diagnosticado com leucemia. O funeral será realizado na Bélgica, junto dos familiares, referiu a família em comunicado.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau