Edição do dia

Sexta-feira, 24 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
25.8 ° C
25.9 °
24.9 °
89 %
3.1kmh
40 %
Qui
26 °
Sex
26 °
Sáb
26 °
Dom
28 °
Seg
29 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioÁsiaAustrália e Nova Zelândia acusam Rússia de obstruir acordo sobre armas nucleares

      Austrália e Nova Zelândia acusam Rússia de obstruir acordo sobre armas nucleares

      A Austrália e a Nova Zelândia acusaram a Rússia de obstruir a conferência de revisão do Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares (TNP), após Moscovo rejeitar críticas à ocupação da central nuclear de Zaporijia, na Ucrânia.

      “A Rússia tem impedido deliberadamente o progresso. As suas acções desafiam directamente os princípios fundamentais do TNP”, disse a ministra dos Negócios Estrangeiros australiana, Penny Wong, num comunicado divulgado no domingo à noite, referindo-se ao tratado multilateral vinculativo que procura o desarmamento nuclear.

      Wong lamentou também que, após quatro semanas de negociações do TNP em Nova Iorque, que teriminaram sexta-feira sem acordo, a Rússia fosse o único país “a opor-se a um resultado significativo e equilibrado sobre os três pilares do tratado: desarmamento, não-proliferação e utilizações pacíficas da energia nuclear”.

      O ministro do Desarmamento e Controlo de Armas da Nova Zelândia, Phil Twyford, acusou a Rússia de “sabotagem diplomática” do TNP, assinado por 191 nações, “numa altura de incerteza e insegurança global” marcada, entre outros acontecimentos, pela invasão da Ucrânia pela Rússia em fevereiro.

      “É extremamente dececionante que, mesmo com a oferta dos EUA de novas negociações sobre o controlo do armamento, os Estados detentores de armas nucleares não tenham conseguido chegar a acordo sobre nada de significativo em matéria de desarmamento efetivo”, acrescentou o ministro neozelandês, também em comunicado.

      As posições australianas e neozelandesas, em sintonia com nações como os Estados Unidos, surgem depois da Rússia vetar uma declaração de consenso, que critica a situação na fábrica de Zaporijia e exige que a fábrica seja devolvida ao controlo das autoridades ucranianas competentes.

      A instalação de Zaporijia, a maior central nuclear da Europa, foi tomada pelas tropas russas no início da guerra e nos últimos dias tem sido alvo de repetidos ataques, fazendo soar o alarme sobre um potencial desastre.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau