Edição do dia

Domingo, 19 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
25 ° C
25.9 °
24.9 °
83 %
4.6kmh
20 %
Dom
25 °
Seg
25 °
Ter
27 °
Qua
25 °
Qui
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaAltos executivos do sector imobiliário da China colocados sob investigação

      Altos executivos do sector imobiliário da China colocados sob investigação

      A China anunciou ontem a abertura de investigações sobre vários altos executivos de empresas imobiliárias estatais, por “graves violações da disciplina e da lei”, um eufemismo usado no país para actos de corrupção. Trata-se de mais um golpe para um sector – chave da economia chinesa, que enfrenta já uma desaceleração nas vendas, uma crise de liquidez e compradores insatisfeitos com longos prazos de entrega dos imóveis.

      Os órgãos locais da agência anticorrupção do Partido Comunista Chinês anunciaram, em comunicados separados, a colocação sob investigação de quatro líderes de empresas imobiliárias. Os alvos das investigações são Zhuang Yuekai, Presidente do Conselho da C&D Real Estate; Shi Zhen, Presidente do Conselho de Serviços Urbanos da C&D; Liu Hui, vice-director geral do Shenzhen Talents Housing Group; e Tang Yong, ex-presidente do Conselho de Administração da China Resources Land. Todos os quatro são suspeitos de “graves violações da disciplina e da lei”, dizem os comunicados, sem acrescentarem mais detalhes.

      Esta expressão é frequentemente utilizada pelas autoridades para designar atos de corrupção ou fraude, mas também pode designar, em alguns casos, desobediência para com as diretrizes políticas do PCC. Estas investigações podem “dar mais um golpe na confiança dos investidores e levantar preocupações sobre a gestão interna de certas empresas públicas”, disse o analista Ting Meng, do ANZ Bank, citado pela agência Bloomberg. Estes anúncios chegam a poucos meses da realização do XX Congresso do PCC, o mais importante evento da agenda política chinesa, que se realiza a cada cinco anos.

      Este ano, o Congresso deve atribuir ao secretário-geral do PCC, Xi Jinping, um terceiro mandato de cinco anos, quebrando com a tradição política das últimas décadas.

      Desde que assumiu a liderança do PCC, em 2012, Xi lançou uma vasta campanha anticorrupção, que resultou na punição de altos cargos do Partido, líderes de empresas e organizações públicas, ou oficiais superiores do exército. Na China, quase todas as personalidades processadas por corrupção acabam por ser condenadas.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau