Edição do dia

Sexta-feira, 12 de Agosto, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
26.9 ° C
27.1 °
25.9 °
89 %
2.6kmh
20 %
Sex
28 °
Sáb
30 °
Dom
30 °
Seg
30 °
Ter
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Política Governo de Macau condena visita de Nancy Pelosi a Taiwan

      Governo de Macau condena visita de Nancy Pelosi a Taiwan

      Para o Governo de Macau, a visita de Nancy Pelosi a Taipé é uma “intervenção violenta” nos assuntos internos da China e ameaça “severamente” a “paz e estabilidade” do Estreito de Taiwan. A líder da Câmara dos Representantes do Congresso dos Estados Unidos chegou terça-feira à noite à Formosa, onde ficou por um dia. Pequim encara a visita como uma “provocação”.

       

      O Governo de Macau também fez questão de condenar a visita de Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes do Congresso dos Estados Unidos, a Taiwan. Num comunicado publicado na manhã de ontem, as autoridades locais repetem as acusações de Pequim e dizem que a visita da responsável norte-americana é uma “intervenção violenta” nos assuntos internos da China.

      “O Governo da RAEM mantém a mesma posição nos assuntos de Taiwan, persistindo na salvaguarda da soberania e da integridade territorial da China e na defesa firme do princípio de ‘uma única China’”, pode ler-se na nota de imprensa das autoridades de Macau.

      Na opinião do Executivo liderado por Ho Iat Seng, a visita da presidente da Câmara dos Estados Unidos a Taiwan “constitui uma intervenção violenta nos assuntos internos, comprometendo a soberania e a integridade territorial, violando arbitrariamente o princípio de ‘uma única China’, ameaçando severamente a paz e a estabilidade do Estreito de Taiwan e destruindo as relações entre a China e os Estados Unidos”.

      Assim, o Governo da RAEM “condena veementemente a referida visita”. As autoridades locais dizem mesmo que os assuntos de Taiwan são “questões fulcrais” nas relações entre a China e os Estados Unidos.

      Por outro lado, o Governo recorda que Joe Biden, Presidente norte-americano, já prometeu respeitar o princípio de “uma única China”, no entanto, na opinião do Executivo local, “as palavras e as acções recentes dos Estados Unidos não correspondem com a promessa”.

      “O Governo da RAEM opõe-se firmemente à intervenção pelas forças externas nos assuntos internos da China, irá apoiar e coordenar plenamente com o Estado na salvaguarda da soberania e da integridade territorial, da segurança e dos interesses de desenvolvimento do país”, conclui o comunicado.

      O avião de Nancy Pelosi aterrou na noite de terça-feira em Taipé. A visita da líder democrata tem sido rodeada de polémica, devido à tensão diplomática entre os Estados Unidos e a China. Antes da aterragem, surgiram vários relatos sobre movimentações militares chinesas em torno do estreito de Taiwan, e o governo chinês ameaçou mesmo o homólogo norte-americano, considerando que a viagem é um ataque à soberania chinesa. Para o Governo da República Popular da China, esta visita da líder da Câmara dos Representantes do Congresso dos Estados Unidos é vista como uma “provocação”.

      Pequim considera que a visita “envia sinais errados” às “forças separatistas que procuram a independência de Taiwan” e ameaça os Estados Unidos com “consequências catastróficas”.

       

      PONTO FINAL