Edição do dia

Quarta-feira, 22 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
24.7 ° C
24.9 °
24.3 °
94 %
3.1kmh
40 %
Ter
25 °
Qua
25 °
Qui
26 °
Sex
27 °
Sáb
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeRon Lam exige detalhes sobre planos pós-consolidação

      Ron Lam exige detalhes sobre planos pós-consolidação

      Ron Lam escreveu uma carta à secretária para os Assuntos Sociais e Cultura a pedir que o Governo revele à sociedade quais os planos para o período após a fase de consolidação. “Algumas das políticas em vigor são pouco científicas e precisas”, critica o deputado.

       

      O deputado Ron Lam quer saber o que vai acontecer depois de ultrapassado o período de consolidação e, para isso, enviou ontem uma carta à secretária para os Assuntos Sociais e Cultura a pedir esclarecimentos. Na missiva, encaminhada às redacções, Ron Lam diz que residentes e empresas têm de começar a fazer os preparativos para a próxima fase.

      Ron Lam começa por salientar que o Governo só conseguiu controlar o surto quando impôs o confinamento de duas semanas, três semanas após o início. Após o confinamento, foi então implementado um período de consolidação, no início desta semana. Ainda que o despacho do Chefe do Executivo sobre a fase de consolidação tenha apenas validade de uma semana, as autoridades indicaram no passado que este período deverá prolongar-se por pelo menos duas semanas.

      Com as medidas em vigor, os restaurantes estão restringidos ao serviço de ‘takeaway’ há quase 40 dias e quase todos os locais de entretenimento e de educação foram obrigados a encerrar, “afectando seriamente tanto os profissionais como as receitas da indústria”, alertou Ron Lam. Apesar de as actividades comerciais e industriais poderem funcionar durante o período de consolidação, os centros de explicações não podem retomar as operações e isso “está a ter um impacto sério nas pequenas e médias empresas que operam no sector da educação”.

      O deputado eleito pela via directa nas eleições do ano passado diz serem precisas políticas “científicas”. No entanto, “algumas das políticas em vigor são pouco científicas e precisas”, afirma. Ron Lam dá o exemplo de Zhuhai, que detectou os primeiros casos da variante Ómicron a 11 de Julho e passados apenas nove dias o sector da restauração já estava a funcionar quase em pleno.

      Assim, o presidente da Associação da Sinergia de Macau insta: “Espero que anunciem à comunidade, o mais rapidamente possível, o plano de recomeço das actividades após o período de consolidação, caso não sejam encontradas mais infecções na comunidade”. Ron Lam quer saber quando é que serão levantadas as medidas restritivas actualmente em vigor, quando é que os restaurantes vão poder voltar a receber clientes no seu interior, quando é que serão reabertos os centros de explicações e quando é que poderão reabrir os estabelecimentos que tiveram de estar encerrados durante este período. Além disso, o deputado pede que o Governo tome “as medidas necessárias” para “assegurar que as instalações que estão fechadas há mais de um mês sejam abertas de forma ordenada”.

      “Espero que as autoridades expliquem claramente qual o futuro plano de normalização da epidemia para que os residentes e os diferentes sectores possam fazer preparativos e planos com antecedência”, concluiu.

      Na conferência de imprensa de ontem, as autoridades de saúde não deram qualquer indicação sobre a próxima fase do período de consolidação nem sobre a fase de normalização. Os responsáveis indicaram apenas a normalidade será restabelecida de forma “gradual”.

       

       

      PONTO FINAL