Edição do dia

Domingo, 19 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
25.9 ° C
26 °
25.9 °
73 %
5.7kmh
20 %
Sáb
25 °
Dom
25 °
Seg
25 °
Ter
27 °
Qua
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeRecrutados 100 técnicos do interior da China para recolher amostras em Macau

      Recrutados 100 técnicos do interior da China para recolher amostras em Macau

      Num programa de rádio do canal chinês da TDM, o subdirector da Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais, Chan Un Tong, afirmou que 100 técnicos do interior da China serão contratados para prestar serviços de colheitas de amostras nas testagens massivas de Covid-19 no território. Perante a crítica da comunidade sobre os “critérios diferenciados” no âmbito da apreciação de qualificação académica entre os candidatos de Macau e do interior da China, o responsável ressalvou que os critérios são uniformizados e garantiu uma avaliação justa das candidaturas.

       

      Uma instituição de saúde recebeu luz verde para preencher 100 vagas de trabalhadores não residentes do interior China para as funções de técnicos de colheitas de amostras de nasofaringe e orofaringe nos testes de ácido nucleico. A informação foi relevada pelo subdirector da Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL), Chan Un Tong, no programa de rádio do canal chinês da TDM Fórum Macau.

      O responsável salientou que, para a contratação de trabalhadores não residentes, é sempre preciso passar por um processo de apreciação prévia. Apesar de as autoridades terem aprovado 100 vagas, ainda é preciso cumprir todas as trâmites e formalidades para a emissão de documentos das autoridades chinesas.

      A DSAL verificou a partir de dados administrativos que, neste momento, ainda não há ninguém do interior da China que tenha chegado a Macau neste processo, reiterando que a instituição de saúde comunicou com o organismo que anteriormente já tinham contratado mais de 200 técnicos locais para realizar as colheitas de amostras.

      Um ouvinte telefonou para o programa de rádio e questionou se alguma instituição de testes de ácido nucleico adopta um “critério diferenciado” para analisar os perfis dos candidatos do interior da China e dos candidatos residentes de Macau, aquando da contratação de técnicos de colheitas de amostra, o que pode dificultar a entrada dos candidatos locais.

      Em resposta às dúvidas suscitadas na comunidade sobre a avaliação do perfil académico nas candidaturas, Chan Un Tong referiu que, devido à elevada transmissibilidade da variante Ómicron que causou este surto local, Macau tinha uma grande necessidade e urgência em ter profissionais de saúde para prestar serviços auxiliares na prevenção da epidemia num curto período de tempo. Porém, nessa altura, Macau não tinha conseguido mobilizar imediatamente pessoal suficiente, pelo que as autoridades assistiram a instituição de testes de ácido nucleico no recrutamento de técnicos profissionais dedicados à colheita de amostras à população durante a testagem massiva no território.

      O subdirector da DSAL enfatizou que os critérios adoptados no que diz respeito à qualificação académica para técnicos de colheitas de amostra para residentes locais e residentes do interior da China são iguais, acrescentando apenas que existem diferenças nos sistemas de formação de profissionais entre Macau e o interior da China. Chan Un Tong assinalou que a colheita de amostras é um trabalho de alto risco, ressalvando que não se pode assumir o trabalho meramente só com a roupa de protecção utilizada, sendo necessários conhecimentos profissionais e experiências clínicas.

      Actualmente, Macau só pode obter a qualificação de saúde relevante após a conclusão de uma licenciatura na área de saúde. Antigamente, existia uma instituição de ensino de enfermagem em Macau que formava graduados de escolas técnicas especializadas, sendo que agora já se tornou num curso de licenciatura para formar enfermeiros profissionais. No interior da China, porém, a realidade é diferente, explicou o responsável. Além da existência da oferta de curso formal de licenciatura na área da saúde, existem ainda escolas técnicas, ou seja, escolas secundárias especializadas para formar enfermeiros.

      O governante realçou que todos os técnicos de colheitas de amostra contractados que chegam a Macau também serão submetidos a uma série de treinos, como todos os técnicos de saúde locais, antes da prestação de serviços auxiliares à população.

       

      PONTO FINAL