Edição do dia

Quarta-feira, 22 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nevoeiro
24 ° C
24.9 °
23.9 °
100 %
2.6kmh
40 %
Qua
26 °
Qui
26 °
Sex
27 °
Sáb
28 °
Dom
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeSupervisão dos hotéis para observação médica preocupa Song Pek Kei

      Supervisão dos hotéis para observação médica preocupa Song Pek Kei

      Reagindo ao surgimento de uma cadeia de infecção no Hotel Parisian, que envolve mais de 50 infectados, a deputada Song Pek Kei lançou um alerta pedindo uma fiscalização mais rigorosa nos hotéis de quarentena, de modo a garantir o cumprimento dos critérios sanitários. A legisladora pede ainda responsabilização pelas falhas nos trabalhos antiepidémicos.

       

      As autoridades precisam de optimizar todos os procedimentos e medidas de prevenção e controlo da epidemia, reforçando a fiscalização dos hotéis usados para observação médica com uma implementação rigorosa dos padrões sanitários, defende a deputada da Assembleia Legislativa Song Pek Kei, considerando que só assim Macau possa concretizar o objectivo de “zero casos”.

      Destacando a ocorrência de contágios no local de quarentena do Hotel Parisian, cujas insuficiências nos trabalhos de prevenção epidémica já fizeram com que mais de 50 pessoas fossem infectadas pela Covid-19, Song Pek Kei criticou a falta de responsabilização por parte do Governo na fiscalização e inspecção das instalações em questão. Citada pelo Jornal Ou Mun, a deputada solicitou, assim, às autoridades que assumam a responsabilidade do incidente, bem como rever as políticas e formas de lidar com esse tipo de situações no futuro.

      Segundo as informações mais actualizadas, a cadeia de infecção envolve 36 funcionários do hotel que trabalhavam em regime de circuito fechado e 19 hóspedes que se submeteram à observação médica nesta instalação hoteleira.

      Recorde-se que o Hotel Parisian registou o primeiro caso positivo no dia 11 do mês num trabalhador. Dois dias depois, quando foi detectada a infecção de mais trabalhadores, os indivíduos que já tinham concluído a observação médica foram informados para realizarem testes de ácido nucleico durante quatro dias consecutivos. Entretanto, o incidente apenas foi divulgado ao público no dia 14, na sequência da infecção de um indivíduo que tinha concluído a quarentena e regressado à comunidade.

      “O Hospital da Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau só foi incumbido, pela Direcção dos Serviços de Turismo (DST), de forma urgente, para inspeccionar a situação no estabelecimento após ter sido exposto o surgimento da cadeia de contágio, para proceder à primeira inspecção no dia 15”, apontou.

      Nesta circunstância, Song Pek Kei referiu que o incidente mostrou que “o pessoal responsável pela matéria sob tutela da DST não possui conhecimentos médicos relevantes”, pelo que devem ter considerado a necessidade de contratação de uma terceira entidade independente para fiscalização logo durante a formulação do plano preparativo, e “o acompanhamento não deve ser realizado apenas após o surgimento da falha”.

      A deputada ligada à comunidade de Fujian questiona a eficácia na identificação de problemas dos grupos de comunicação subsidiários das autoridades, alertando para a necessidade de haver supervisão suficiente com antecedência para garantir a aplicação rigorosa das directrizes de prevenção e controlo do surto.

      Relativamente à avaliação realizada pelo Hospital da Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau, os resultados indicam que “havia aspectos insuficientes na operação do hotel na prevenção e controlo de contágio”, tendo as informações recolhidas sido encaminhadas para os Serviços de Saúde para análise.

      “Caso seja esclarecido que o hotel tem igualmente responsabilidade na falha de implementação das directrizes específicas, deve ser punido em concordância do acordo estabelecido entre a operadora hoteleira e o Governo”, salientou.

      Recordando o surto pandémico em Macau no ano passado devido às lacunas de prevenção da Covid-19 no Hotel Golden Crown China, Song Pek Kei considera que o Governo deveria “aprender a lição” a fim de evitar repetir incidentes semelhantes.

      Segundo a legisladora, embora o número do pessoal seja escasso face ao aumento dos infectados e prédios residenciais sob controlo, é indispensável assegurar recursos humanos devidos, através da coordenação, nos hotéis de observação médica, como uma parte importante da gestão do surto.

      A também vice-presidente da Aliança de Povo de Instituição de Macau propôs a introdução do uso de robôs de entrega e de medição de temperatura nos hotéis de quarentena, de forma a reduzir o contacto entre pessoas e o risco de transmissão de vírus.

      Song Pek Kei apontou que a variante Ómicron é altamente transmissível e de rápida propagação e, dessa forma, as directrizes anteriores podem não ser capazes de atender às novas necessidades antiepidémicas, devendo ser actualizadas e avançadas progressivamente.

       

      PONTO FINAL