Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Setembro, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.9 ° C
29.4 °
27.9 °
89 %
6.2kmh
40 %
Qui
28 °
Sex
28 °
Sáb
29 °
Dom
29 °
Seg
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Grande China China denuncia passagem de contratorpedeiro norte-americano pelo Estreito de Taiwan

      China denuncia passagem de contratorpedeiro norte-americano pelo Estreito de Taiwan

      O Exército chinês denunciou ontem a passagem do contratorpedeiro norte-americano USS Benfold pelo Estreito de Taiwan como um acto de “provocação”. O porta-voz do Comando de Operações do Teatro Leste do Exército de Libertação Popular, o coronel Shi Yi, disse que o USS Benfold navegou na terça-feira, pelas águas do Estreito de Taiwan, cuja largura de 180 quilómetros separa a ilha da província chinesa de Fujian. O Comando ordenou que forças navais e aéreas “monitorassem e controlassem” toda a rota, assegurou Shi.

      Segundo o coronel, as “frequentes provocações e demonstrações” feitas pelos Estados Unidos expõem o país como um “destruidor da paz e da estabilidade” e o “criador de riscos” no referido estreito. Shi acrescentou que as tropas do Comando Leste “permanecem em alerta máximo” para “defender a soberania nacional e a integridade territorial da China”.

      A China garantiu na terça-feira que responderá com “medidas fortes” se a presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, a democrata Nancy Pelosi, visitar Taiwan no próximo mês, uma possibilidade avançada na terça-feira pelo jornal Financial Times, mas não confirmada nem negada por Pelosi ou a sua equipa.

      Taiwan é uma das principais fontes de tensão entre a China e os Estados Unidos, principalmente porque Washington é o principal fornecedor de armas de Taiwan e seria o seu maior aliado militar, no caso de uma guerra contra a China. Taiwan, a ilha onde se refugiou o antigo governo chinês depois de o Partido Comunista tomar o poder no continente em 1949, assume-se como República da China, e funciona como uma entidade política soberana. No entanto, Pequim considera Taiwan uma província sua e ameaça usar a força caso a ilha declare independência. Nos últimos anos, as incursões de aviões militares chineses na zona de defesa aérea da ilha intensificaram-se.

      No fórum de Defesa Shangri-La, que se realizou em Singapura, em junho, o ministro da Defesa chinês, Wei Fenghe, disse que os seus militares “esmagariam” qualquer tentativa de Taiwan de tornar-se independente, e advertiu os EUA para pararem de tentar conter a China. “Se alguém forçar uma guerra contra a China, o Exército de Libertação Popular [as Forças Armadas chinesas] não recuará”, acrescentou Wei.

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau