Edição do dia

Terça-feira, 21 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nevoeiro
25.6 ° C
25.9 °
24.8 °
89 %
4.1kmh
40 %
Ter
26 °
Qua
25 °
Qui
25 °
Sex
26 °
Sáb
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioEconomiaIndústria de convenções quer organização normal dos eventos durante a pandemia

      Indústria de convenções quer organização normal dos eventos durante a pandemia

      Enfrentando a persistência da epidemia e a suspensão das actividades comerciais, o sector deconvenções e exposições (MICE) não se mostra optimista quanto ao ambiente do mercado. O presidente da Associação de Convenções e Exposições de Macau revelou que até 30% dos eventos foram cancelados, enquanto muitos foramsujeitos a adiamento. A indústria pede medidas para a retoma das actividades normais mesmo durante a pandemia.

       

      O sector de convenções e exposições (MICE) está desiludido com as perspectivas de desenvolvimento a curto prazo da indústria em Macau visto que, devido à pandemia, foram cancelados ou adiados muitos eventos agendados para o segundo semestre, altura que é tradicionalmente considerada como época alta para os expositores.

      De acordo com o presidente da direcção da Associação de Convenções e Exposições de Macau, Irwin Poon Yiu Wing, visto que o surto da Covid-19 na comunidade ainda não se estabilizou e as restrições não abrandam, 20 a 30% das exposições comerciais realizadas pelas entidades privadas do segundo semestre foram canceladas, enquanto que as de entidades públicas foram adiadas.

      Irwin Poon, em declarações ao Jornal Ou Mun, referiu que espera que o Governo estude a estipulação e implementação de certas medidas especiais para o sector MICE, para que as convenções e exposições sejam organizadas normalmente desde que a indústria siga as directrizes de prevenção epidémica.

      “Embora a pandemia tenha persistido nos últimos dois anos, os eventos podiam sempre ser realizados no final do ano, o que apoiava pelo menos a sustentação do sector. No entanto, se este surto continuar e a política de zero casos permanecer inalterada, estou preocupado com a possibilidade de perdermos os eventos previstos para a segunda metade do ano, o que equivale a não ter quase nenhum trabalho ao longo do ano”, frisou.

      Neste caso, o responsável destacou que “a indústria MICE não é como outras indústrias comuns”, não podendoser restaurada imediatamente após a passagem do surto. A retoma das actividades do sector leva tempo para trabalhar na organização, preparação e planeamento, e a situação epidémica interrompeu o ritmo, causando um grande impacto na indústria.

      As restrições antipandémicas têm sido obstáculos para a organização dos eventos. Irwin Poon confessou ao mesmo jornal que alguns eventos já foram reagendadospara o segundo semestre pelo mesmo motivo, prevendo que a realização dos mesmos possa ser retomada em Setembro caso o presente surto seja controlado dentro de um mês, sendo os trabalhos preparativos iniciados em Agosto.

      Pelo contrário, se as medidas lançadas pelo Governo continuarem a ser rigorosas em Setembro e Outubro, as actividades do sector MICE serão basicamente canceladas por não haver mais vagas na agenda para a prorrogação dos eventos, disse o presidente da associação. “Neste período, o sector não tem nada para fazer a não ser esperar que a situação epidémica alivie. Mas temos receio de que o surto continue a surgir de vez em quando no próximo futuro. É impossível pararmos o trabalho indefinidamente”, salientou, solicitando a retoma das actividades normais da indústria.

      O sector MICE, por outro lado, pede ao Governo que forneça mais medidas de apoio, nomeadamente assistência financeira, por exemplo, ajudando a indústria a pagar uma parte dos salários dos funcionários, o que o responsável acredita ser uma ajuda eficaz.

      Relativamente aos recursos humanos, segundo Irwin Poon, a maioria do sector MICE é constituído porpequenas e médias empresas, que estão a sustentar-se para manter o emprego dos quadros qualificados. “Apesar da escassez de eventos, cuja situação está a agravar, as empresas querem muito manter os seus talentos. Para trabalhar nesta indústria é preciso experiência, é difícil encontrar novamente pessoal adequado e competente num curto período”, lamentou.

      Apontou ainda que algumas empresas começaram a demitir funcionários no ano passado devido ao excesso de pressão financeira, contudo, já não podem cortar mais trabalhadores. O responsável sublinhou também que muitas empresas sentem-se cansadas com esta prevenção epidémica. Parece que não tem fim, e a confiança do sector de exploração de actividades está abalada”, alertou.

      De acordo com o calendário dos eventos deconvenções e exposições no site oficial do sector MICE, existem actualmente oito eventos que foram adiados para data não confirmada, enquanto as exposições após meados de Agosto ainda aguardam pela evolução pandémica, incluindo o Fórum e Exposição Internacional de Cooperação Ambiental de Macau (MIECF).

      Dados divulgados pelos Serviços de Estatística e Censos indicaram que foram realizadas 97 reuniões, conferências, exposições e eventos de incentivos no primeiro trimestre deste ano, o que corresponde a um aumento de 29 eventos em relação ao período homólogo do ano passado, e uma diminuição de 66 eventos face ao último trimestre de 2021. Devido à pandemia, os eventos têm tendência a diminuir em termos da escala derealização, sendo que a duração média das reuniões e conferências foi de 0,9 dias, menos 0,1 dias em termos anuais, e a das exposições foi de 2,6 dias, menos 0,3 dias.

      PONTO FINAL