Edição do dia

Terça-feira, 21 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva fraca
25.6 ° C
25.9 °
24.8 °
94 %
4.6kmh
40 %
Ter
25 °
Qua
25 °
Qui
24 °
Sex
27 °
Sáb
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaChina protesta pela presença de vice deTaiwan no funeral de ex-PM japonês

      China protesta pela presença de vice deTaiwan no funeral de ex-PM japonês

      A China apresentou um protesto formal ao Japão pela presença do vice-presidente de Taiwan num memorial organizado em honra do ex-primeiro-ministro japonês Shinzo Abe, que foi assassinado na sexta-feira.

      A China reivindica Taiwan como uma província separatista a ser reunificada pela força, caso seja necessário, e opõe-se a qualquer actividade da ilha enquanto entidade política independente.

      O porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros da China Wang Wenbin disse que as autoridades de Taiwan “agarraram a oportunidade para fazer manipulação política” e que Pequim “apresentou graves protestos ao Japão, em Pequim e em Tóquio, e deixou clara a sua posição”. “O seu esquema político nunca poderá ter sucesso”, disse Wang, em conferência de imprensa.

      O vice-presidente de Taiwan, Lai Ching-te, prestou homenagem na residência de Abe, em Tóquio, na segunda-feira. Mais tarde, Lai foi fotografado a deixar o templo Zojoji, no centro de Tóquio, onde o funeral de Abe se realizou. Lai é o mais alto funcionário de Taiwan a visitar o Japão desde que Tóquio cortou relações diplomáticas formais com Taipé, em 1972, e restabeleceu relações com Pequim. Abe era um forte defensor de Taiwan, que foi uma colónia japonesa por 50 anos, e onde o sentimento público favorece fortemente Tóquio.

      China e Taiwan vivem como dois territórios autónomos desde 1949, altura em que o antigo governo nacionalista chinês se refugiou na ilha, depois da derrota na guerra civil frente aos comunistas. Em 2021, depois de renunciar ao cargo de primeiro-ministro, Abe irritou Pequim com um discurso no qual sinalizou forte apoio a Taiwan e afirmou que “a aventura militar [chinesa] levaria ao suicídio económico”.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau