Edição do dia

Quinta-feira, 18 de Agosto, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens quebradas
25.9 ° C
27.1 °
25.9 °
94 %
6.2kmh
75 %
Qua
28 °
Qui
30 °
Sex
31 °
Sáb
29 °
Dom
29 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Macau confirma 299 casos de Covid-19 e avança hoje para mais uma...

      Macau confirma 299 casos de Covid-19 e avança hoje para mais uma testagem em massa

      Os números não param de crescer e a sociedade continua, ainda mais, em suspenso. Em 24h, Macau confirma mais de uma centena de novos casos de Covid-19. O Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus anunciou mais uma ronda de dois dias de testagem em massa com testes de antigénio à mistura. “O número de casos tem vindo a crescer de forma rápida”, com o novo coronavírus “a propagar-se pela sociedade”, constatou a secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Elsie Ao Ieong. Registos mostram que a linhagem BA.5 da Ómicron entrou pela primeira vez na China em Maio.

       

      Um total de 109 novos casos de infecção por SARS-CoV-2 surgiram em Macau nas últimas 24h aumentando o número total do actual surto na comunidade para 299, anunciaram ontem as autoridades na habitual conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus sobre o ponto de situação da Covid-19 no território.

      A conferência de imprensa começou com o anúncio de 261 casos – 158 são mulheres e 103 homens -, mas durante a cerca de hora e meia que durou a conversa com os jornalistas, o director dos Serviços de Saúde, Alvis Lo, acabou por anunciar em directo mais 38 casos positivos. Um total de 10 grupos e 20 pessoas estão sinalizados e a ser investigados pelas autoridades, mas alguns deles não têm relação entre si.

      Devido ao aumento exponencial do número de infectados no território, o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus anunciou igualmente que hoje começa mais uma ronda de dois dias de testagem em massa na população, a terceira desde 18 de Junho, dia em que foram encontrados os primeiros casos. A nova medida foi anunciada pela secretária para os Assuntos Sociais e Cultura. “Os testes em massa surtiram um grande efeito para interromper as cadeias de transmissão, bem como todas as investigações epidemiológicas”, constatou a governante.

      Elsie Ao Ieong também referiu que cada pessoa receberá cinco kits de teste rápido de antigénio e máscaras KN-95. “As máscaras KN-95 são mais eficientes na prevenção de infecções do que as máscaras cirúrgicas normais” pois “uma pessoa pode facilmente contagiar entre quatro e sete pessoas”, acrescentou, porque “o número de casos tem vindo a crescer de forma rápida”, com o novo coronavírus “a propagar-se pela sociedade”. “Nos dias seguintes serão realizados diversos testes antigénio em casa, mas mais informações divulgaremos posteriormente.”

      Desta vez, as autoridades sanitárias do território decidiram acrescentar mais postos de testagem em massa – de 32 para 41 –, para evitar aglomerações já que a variante BA.5 da estirpe Ómicron é “altamente transmissível”. Todos os moradores foram instados a realizar um teste rápido de antigénio por conta própria antes de se dirigirem às estações de testagem, pelo que se ocorrerem resultados positivos, “devem ser comunicados de imediato às autoridades”.

      O território está a enfrentar o pior surto desde o início da pandemia de Covid-19 em 2020. Recorde-se que o segundo teste à população terminou às 23:59 de sexta-feira, e tal como no primeiro, no início da semana, mais de 667 mil pessoas foram testadas. As fronteiras não estão encerradas, mas a circulação não tem sido muita. Nas últimas 24h, entraram 800 pessoas e saíram 900.

      O surto iniciou-se na zona central da península de Macau, na Avenida Horta e Costa, mas actualmente os focos mais preocupantes estão localizados na zona Norte, perto da fronteira com a China continental. As autoridades admitiram que mais zonas alvo poderão surgir nos próximos dias.

      Instada a comentar a possibilidade de suspender toda a cidade, Elsie Ao Ieong não se mostrou inclinada a fazê-lo. “Repare que não podemos comparar 2020 com o que estamos a passar agora. Mais de dois anos depois, o território tem cerca de 90% da população vacinada. Se em 2020 a suspensão total era uma saída, não penso que o seja agora. Sinceramente, não vamos querer suspender a cidade toda”, admitiu a governante, ao mesmo tempo que pediu aos jornalistas para ponderarem sobre o assunto.

      De notar que nesta última testagem a maioria dos casos foi detectada na comunidade e não nas pessoas que estão controladas dentro das zonas alvo, junto a zonas vermelhas e amarelas espalhadas pelo território. O Governo também anunciou que vai manter todos os serviços públicos encerrados, pelo menos, até 1 de Julho.

      Os Serviços de Saúde também disseram que não há forma de controlar o preço dos testes de antigénio nas farmácias. Mais tarde ou mais cedo, a população terá de começar a comprar os testes, mas o mercado é livre, apesar de fiscalizado. “Existem organismos que podem supervisionar a venda do produto”, lembrou Alvis Lo.

      A subvariante BA.5 da Ómicron já é responsável pela maioria das infecções em países como Portugal, Brasil ou África do Sul, entre outros. O primeiro caso desta subvariante surgiu na China, em Xangai, no passado dia 13 de Maio, conforme informações contidas nos relatórios de saúde governamentais, dias depois, a 28 de Maio. O caso foi na altura atribuído a uma pessoa chinesa que chegou ao país oriunda do Uganda, com passagens pelos Países Baixos e pela Coreia do Sul. Também em Maio, 11 casos de infecção assintomática diagnosticados na província de Liaoning se revelaram ser da subvariante BA.5 da Ómicron.

       

      PONTO FINAL