Edição do dia

Quinta-feira, 30 de Junho, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
aguaceiros fracos
26.9 ° C
31 °
26.9 °
94 %
5.1kmh
40 %
Qui
28 °
Sex
29 °
Sáb
28 °
Dom
29 °
Seg
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Prioridade das autoridades é descobrir infectados a circular na comunidade, diz Alvis...

      Prioridade das autoridades é descobrir infectados a circular na comunidade, diz Alvis Lo

      O director dos Serviços de Saúde defendeu que a prioridade dos trabalhos antiepidémicos actuais é encontrar casos positivos na comunidade, dado que os casos surgidos nas zonas controladas e em quarentena têm baixo risco de transmissão. Por outro lado, agora é apenas considerada zona vermelha se existirem dois casos ou mais num mesmo edifício. Com o aumento dos casos confirmados, um profissional de saúde foi diagnosticado positivo, mas não se sabe se foi infectado no local de trabalho.

       

      Os Serviços de Saúde afirmaram ontem que, para enfrentar o presente surto pandémico em Macau, o mais importante é descobrir os casos infectados no seio da comunidade e que estão a circular fora das zonas de prevenção, de forma a concretizar a política de ‘zero casos’ a nível comunitário. Nesse sentido, foi salientado que o foco do trabalho das autoridades é controlar os grupos de risco com maior rapidez e na maior medida possível.

      Na conferência de imprensa realizada ontem, Alvis Lo, director dos Serviços de Saúde, explicou que os casos diagnosticados nos testes em massa e nos testes rápidos de antigénio são considerados casos a nível comunitário. “Claro que na fase inicial do surto devem haver muitos casos descobertos dentro da comunidade, mas quanto mais pessoas e zonas de alto risco sob controlo, os casos confirmados subsequentes já devem estar controlados, como os casos surgidos nos hotéis de quarentena ou zonas de prevenção, assim o risco de transmissão comunitária é extremamente baixo”, afirmou.

      Os dados oficiais mais actualizados até ontem à tarde indicaram que foram diagnósticos um total de 110 casos de Covid-19, entre os quais, 94 casos foram descobertos na comunidade, e 16 casos foram encontrados nos prédios confinados e zonas controladas. Apesar de defender mais controlo nos grupos e zonas de risco, foram anunciadas ontem medidas mais brandas aplicadas nas zonas vermelhas, nomeadamente na listagem de zonas.

      De acordo com o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus, os novos critérios revelam que apenas os edifícios ou prédios residenciais com dois ou mais casos positivos serão classificados como zonas seladas e controladas, ou seja, zonas de código de saúde de cor vermelha, sendo sujeitos a uma gestão fechada por pelo menos cinco dias.

      Os indivíduos que se encontrem nessa zona devem submeter-se a testes de ácido nucleico no 1.º e 5.º dias, bem como testes rápidos de antigénio no 2.º, 3.º, 4.º dias. O confinamento termina após sair o resultado de teste no 5.º dia, caso não haja sinal de transmissão contínua na área. Já para os edifícios onde se detecte apenas um caso, serão listados como zonas de prevenção, ou seja, zonas amarelas.

      Recorde-se que essas zonas estavam a adoptar um período de isolamento definido em sete dias, estando previsto anteriormente que pudesse ser ajustado para 10 dias.

       

      FUNCIONÁRIO MÉDICO INFECTADO

       

      Os casos positivos de Covid-19 continuam a subir em Macau. Entre os 110 casos registados até às 15h de ontem, um agente de polícia e um profissional médico foram diagnosticados positivos. “Este elemento da equipa médica infectado exercia função de amostragem na urgência no Centro Hospitalar Conde de São Januário. Não apresenta agora sintomas e foi encaminhado já para hotel de observação médica. Ainda não conseguimos confirmar se foi infectado no local de trabalho, mas os colegas médicos que trabalham no mesmo local testaram negativos”, adiantou Alvis Lo.

      Conforme o estudo epidemiológico, os infectados estão divididos em cinco grupos, incluindo o grupo de trabalhadores não residentes do Edifício Yim Lai, que envolve 55 pessoas; o grupo do Edifício Tat Cheong, de 38 pessoas; o grupo de quatro pessoas que envolvem a loja de lavandaria Tim Fung na Areia Preta; o grupo de ginásio OD Health Club, com três pessoas, e o grupo do edifício Centro Internacional, com duas pessoas. Os restantes oito pacientes ainda são alvo de investigação acerca da cadeia de infecção.

      Informações preliminares dos Serviços de Saúde verificam que o 1.º, 2.º, 3.º e 5.º grupos podem estar relacionados na infecção de alguma forma, mas ainda não foi encontrada uma relação clara para o 4.º grupo.

      Além disso, Alvis Lo anunciou ontem o encerramento do posto de teste de ácido nucleico do Pac On e, desde as 6h de manhã de hoje, o pavilhão C do Macau Dome está aberto para realização de testagem. O responsável justificou que “o espaço é maior do que o de Pac On, que é mais apropriado à prevenção e controlo da pandemia”, dado que se prevê que possa detectar mais casos positivos nos testes em massa.

       

      PONTO FINAL