Edição do dia

Quarta-feira, 7 de Dezembro, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu limpo
17.9 ° C
21.6 °
17.9 °
72 %
7.2kmh
0 %
Qua
19 °
Qui
22 °
Sex
22 °
Sáb
22 °
Dom
21 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Grande China Inflação na China estabiliza e sobe 2,1% em Maio

      Inflação na China estabiliza e sobe 2,1% em Maio

      O índice de preços ao consumidor, o principal indicador da inflação na China, registou um crescimento homólogo de 2,1%, em Maio, enquanto o índice de preços ao produtor, que mede a inflação no sector grossista, avançou 6,4%. O Gabinete Nacional de Estatísticas (GNE) chinês, que divulgou os dados, apontou para a melhoria da situação epidemiológica no país em maio, face a abril, quando a China registou os surtos mais graves de covid-19 desde o início da pandemia, e a “oferta abundante” no mercado, como fatores que contribuíram para a “estabilização” do índice de preços ao consumidor. Os analistas previam um avanço de 2,2% naquele índice.

      O índice de preços ao produtor avançou 8%, em Abril, em relação ao mesmo mês do ano anterior, pelo que o valor de Maio representa uma contração de 1,6%, em relação ao mês anterior. Em 2021, os preços ao consumidor no país asiático aumentaram 0,9% e no sector de vendas por grosso 8,1%.

      Na comparação entre Abril e Maio, os preços ao consumidor caíram 0,2%, sobretudo devido à queda dos preços dos alimentos, que caíram 1,3%, em relação ao mês anterior. O estatístico do GNE Dong Lijuan explicou que a queda nos preços dos alimentos se deveu a uma “grande quantidade de vegetais frescos que entrou no mercado” e “logística mais fluida”, em Maio, quando as restrições impostas sobre a circulação de pessoas foram relaxadas em algumas áreas do país. O preço dos combustíveis cresceu significativamente: a gasolina e o gasóleo aumentaram 27,6% e 30,1%, em termos homólogos, respectivamente.

      Dong explicou que “o trabalho de prevenção e coordenação anti – pandemia da China” garantiu a “estabilização das cadeias de fornecimento” em alguns setores-chave, o que contribuiu para a desaceleração do crescimento homólogo dos preços no sector grossista em Maio.

      No entanto, o GNE alertou para aumentos dos preços em 37 dos 40 sectores industriais inquiridos, destacando-se o sector da fundição de metais e o preço do carvão e petróleo. Segundo a mesma fonte, a subida global dos preços das matérias-primas explica a evolução do PPI, nomeadamente o aumento do preço do petróleo ou produtos básicos da indústria química.

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau