Edição do dia

Quarta-feira, 22 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva fraca
26.3 ° C
27.6 °
25.9 °
94 %
2.1kmh
40 %
Qua
26 °
Qui
27 °
Sex
27 °
Sáb
27 °
Dom
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeMenino de cinco anos agredido pelo pai, que gravou agressões e mostrou...

      Menino de cinco anos agredido pelo pai, que gravou agressões e mostrou à mãe

      Um homem, de 34 anos de idade, residente de Macau, foi detido no dia 23 de Maio pela Polícia Judiciária (PJ) por suspeita de ter agredido o seu filho de cinco anos de idade. O suspeito terá gravado um vídeo das agressões ao filho e enviado posteriormente à mãe da criança. Na passada quinta-feira, o suspeito foi chamado pela PJ e começou por dizer que se tinha separado da sua mulher em Novembro do ano passado e coabitava desde então com o filho numa fracção habitacional perto do bairro de Patane. A mãe da criança visitava-a, de vez em quando, na casa do homem. À meia-noite do passado sábado, a mãe foi para a casa do suspeito e teve uma discussão com o homem alcoolizado porque este achava que ela não tinha tomado conta do filho devidamente. Depois da discussão, a mulher saiu do local e o menino começou a chorar. O homem acabou por repreender o filho, dando-lhe várias bofetadas na cara. O suspeito gravou o vídeo das agressões e, posteriormente, enviou-o para a mulher que, com medo de que o filho fosse agredido mais vezes, voltou ao local, verificando os seus ferimentos e descobrindo que a cara da criança estava vermelha e inchada. No seguimento, decidiu apresentar o caso à polícia. As autoridades confirmaram que a ferida constituía uma ofensa simples à integridade física. No dia seguinte, o homem foi chamado pela PJ e admitiu que tinha agredido o filho por este estar a chorar.

      Noutro caso, um homem, de 36 anos de idade, residente de Macau, foi detido na passada quinta-feira pela PJ por suspeita de ter agredido o seu filho de sete anos de idade. Depois das agressões, o menino teve de ir ao Centro Hospitalar Conde de São Januário e o pessoal hospitalar denunciou a situação à PJ. Na passada quinta-feira, o suspeito foi chamado pela PJ para investigação do caso e disse que se tinha separado da mulher em Setembro do ano passado, sendo que ela coabitava com o filho. A partir de Setembro do ano passado, o suspeito ia buscar o filho à escola todos os dias e acompanhava-o a sua casa, onde tinha explicações com um tutor. No entanto, quando o tutor não estava disponível, o pai dava as explicações. O suspeito disse ainda que agredia o filho quando este não tinha boas notas. O homem batia à criança com um cabide, dava bofetadas e obrigava-o a segurar um balde com água por cima da cabeça, por exemplo. Na passada terça-feira, o suspeito descobriu que o filho tinha mentido, dizendo que tinha obtido boas notas, e deu-lhe várias pancadas com um cabide, fazendo com que surgissem vários vincos e ferimento na zona perto da cintura, costas, braços, nádegas e pernas. No seguimento, a mãe do menino levou o filho para sua casa depois das explicações. A mãe depois descobriu que havia vários hematomas e ferimento no seu corpo. No dia seguinte, a mulher informou os funcionários da escola que o menino frequentava e posteriormente o menino foi transportado para o hospital público. O caso foi apresentado à PJ pelo pessoal do hospital Conde São Januário. Na quinta-feira da semana passada, o homem foi chamado pela PJ e admitiu ter agredido o seu filho com um cabide, tendo sido acusado de ter cometido uma ofensa simples à integridade física.

       

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau