Edição do dia

Terça-feira, 21 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva fraca
25.6 ° C
25.9 °
24.8 °
94 %
4.6kmh
40 %
Ter
25 °
Qua
25 °
Qui
24 °
Sex
27 °
Sáb
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeCTM à espera da licença para o 5G

      CTM à espera da licença para o 5G

      Foi com satisfação que a Companhia de Telecomunicações de Macau (CTM) ouviu a promessa de Raimundo do Rosário, que disse que a tecnologia 5G é prioridade para o Governo e vai ser lançada até ao final do ano. Ontem, num encontro com órgãos de imprensa, os responsáveis da CTM afirmaram que, depois de um investimento de 600 milhões de patacas na rede, está tudo pronto para começar a servir Macau com o 5G.

      Só falta o Governo atribuir a licença para a Companhia de Telecomunicações de Macau (CTM) implementar a tecnologia 5G no território. Os responsáveis da empresa encontraram-se ontem com a imprensa em língua portuguesa e inglesa para dar a conhecer o que tem sido feito na área.

      Raimundo do Rosário, secretário para os Transportes e Obras Públicas, afirmou na semana passada que a tecnologia 5G é uma prioridade para o Governo e que poderá ser lançada até ao final do ano. Isto depois de nas últimas semanas terem surgido críticas ao Executivo, inclusivamente de deputados, pois a CTM já está preparada para lançar o serviço, mas encontra-se impedida, uma vez que não tem a licença exigida, tendo de ser atribuída pelo Governo.

      Aos jornalistas, Aguinaldo Wahnon, vice-presidente da empresa, afirmou: “Ficámos bastante agradados com as últimas declarações do Governo sobre o licenciamento do 5G até ao fim deste ano”. Segundo o responsável para os assuntos jurídicos e regulatórios da empresa, foram já investidos 600 milhões de patacas na rede e a tecnologia está pronta a entrar em operação.

      Ficámos muito satisfeitos, e os nossos accionistas também, porque finalmente tivemos um sinal claro de que este ano veremos o licenciamento de 5G acontecer”, reiterou. Além dos 600 milhões de patacas investidos na rede 5G, a CTM espera gastar mais dois mil milhões nos próximos cinco anos.

      Ainda assim, Aguinaldo Wahnon diz compreender a demora do Governo. “Não é da noite para o dia que se reformula uma legislação que tem décadas no sector”, disse, indicando também que “o Governo teve outros problemas para resolver mais urgentes e a reforma tem levado mais tempo do que gostaríamos”.

      Macau é a única cidade da Grande Baía sem cobertura 5G. Declan Leong, também vice-presidente da CTM, lembrou que na China continental, onde o serviço foi lançado em 2019, “já existe uma cobertura 5G muito boa em todo o lado”, tanto nas maiores cidades como nas de menor dimensão.

      A CTM compromete-se também em cobrir o território na sua totalidade com uma rede de desenvolvimento sustentável de fibra óptica. Por outro lado, além de garantir serviço 5G em todo o território, a CTM também diz estar pronta para fazer com que todo o espectro suporte alta velocidade e implementar todas as tecnologias que necessitem da rede 5G.

      A CTM deu início ao estudo sobre o 5G em 2019 ecompletou o plano completo para a cobertura 5G no território. As construções iniciais das infraestruturas para a tecnologia foram concluídas em meados de 2020. A segunda fase de instalação dos equipamentos ficou concluída a meio do ano passado.

      No encontro de ontem, os responsáveis da CTM falaram das possibilidades que a tecnologia 5G permite, desde a maior velocidade à menor latência, passando por mais segurança. Os responsáveis mostraram também as instalações do centro de gestão de rede, o centro de operações de segurança e o centro de dados da empresa, onde .

      PONTO FINAL