Edição do dia

Terça-feira, 9 de Agosto, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
27.9 ° C
27.9 °
26.9 °
83 %
5.1kmh
20 %
Seg
28 °
Ter
28 °
Qua
29 °
Qui
28 °
Sex
29 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Internacional Rússia destruiu 58 infraestruturas civis na região de Donetsk

      Rússia destruiu 58 infraestruturas civis na região de Donetsk

      As tropas russas bombardearam nas últimas 24 horas 12 zonas residenciais da região de Donetsk, no leste da Ucrânia, destruindo 58 infraestruturas civis, indicou ontem a Polícia Nacional ucraniana. “Num só dia, os russos destruíram 58 infraestruturas civis na região de Donetsk. As forças ocupantes dispararam contra 12 localidades. Há mortos e feridos”, refere a polícia ucraniana através de um comunicado publicado na plataforma Telegram e difundido pela agência de notícias Ukrinform. Segundo a agência de notícias espanhola EFE, o comunicado acrescenta que “foram destruídos mais de 40 edifícios residenciais, uma escola, uma escola de música, um instituto, empresas e instalações críticas”. “O inimigo atacou as zonas de Bajmut, Soledar, Avdiivka, Sviatohirsk, Mykolayivka, Toretsk, Zalizne, Raihorodok, Lastochkine, Pervomaiske, Yarova e Sil”, salienta a polícia ucraniana. O comunicado refere ainda que as tropas russas bombardearam a população civil a partir de aviões, de tanques, de artilharia pesada e de diversos tipos de lança ‘rockets’. A polícia ucraniana documentou crimes de guerra cometidos pelas forças russas e abriu processos, ao abrigo do Código Penal ucraniano. O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, e o Estado-Maior das Forças Armadas da Ucrânia confirmaram ontem que a Rússia está a intensificar os ataques à região do Donbass, no leste da Ucrânia, sublinhando que os russos tentam avançar sobre Slovyansk e Severodonetsk. Forças de Donetsk, aliadas do exército russo na invasão da Ucrânia, identificaram 78 mulheres entre os combatentes ucranianos capturados no complexo siderúrgico Azovstal, o último bastião remanescente na cidade de Mariupol, no leste do país. A informação foi confirmada pelo líder da autoproclamada República Popular de Donetsk, Denis Pushilin, que afirmou igualmente, citado pela agência noticiosa russa TASS, que há estrangeiros entre os capturados, embora não tenha precisado o número. “Tinham comida e água suficientes e armas de sobra, o problema era que faltavam medicamentos”, disse, acrescentando que pelo menos seis combatentes ucranianos foram mortos durante o ataque final russo quando tentaram detonar um depósito dentro do complexo siderúrgico para evitar que fossem capturados. Segundo o líder dos separatistas de Donetsk, 2.439 militares ucranianos e combatentes do batalhão Azov foram capturados pelos militares russos nas operações no complexo Azovstal.

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau