Edição do dia

Sexta-feira, 12 de Agosto, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
26.9 ° C
27.1 °
25.9 °
89 %
2.6kmh
20 %
Sex
28 °
Sáb
30 °
Dom
30 °
Seg
30 °
Ter
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Internacional Quatro chineses e um norte-americano acusados de espionagem pela justiça dos EUA

      Quatro chineses e um norte-americano acusados de espionagem pela justiça dos EUA

      A justiça federal norte-americana acusou esta quarta-feira de espionagem quatro chineses, que permanecem no seu país, e um norte-americano de origem chinesa, detido nos Estados Unidos em Março. Shujun Wang, professor de 73 anos, nascido na China e naturalizado norte-americano, é acusado de ter fornecido a Pequim, através de quatro agentes do Ministério de Segurança do Estado chinês, informações sobre opositores e defensores da democracia e dos direitos humanos em Hong Kong, Taiwan, Tibete e pelos uigures. Breon Peace e Matthew Olsen, procuradores federais de Brooklyn, Nova Iorque, divulgaram em comunicado que Shujun Wang, cofundador de uma organização de Nova Iorque considerada crítica ao regime chinês, é suspeito de ter usado o seu estatuto social para recolher informações sobre activistas pró-democracia nos Estados Unidos. Os quatro agentes oficiais chineses também foram acusados de espionagem.

      Segundos os procuradores, foi possível “expor e combater uma operação da República Popular da China (RPC) que ameaça a segurança e a liberdade de cidadãos chineses que residem nos Estados Unidos por causa das suas crenças pró-democracia”. “Não toleraremos nenhuma tentativa da RPC ou de qualquer regime autoritário de exportar qualquer prática repressiva para o nosso país”, salientou Matthew Olsen. Shujun Wang, que pode ser condenado até 20 anos de prisão, foi detido em 16 de Março, em Nova Iorque, no seguimento da divulgação pela justiça norte-americana de vários casos de espionagem visando Pequim. Um destes casos diz respeito a uma campanha de difamação de um ex-manifestante de Tiananmen, refugiado nos Estados Unidos em 1992, naturalizado norte-americano e que, depois de ter servido as Forças Armadas, procurou concorrer a um lugar na Câmara dos Representantes do Congresso.

      Segundo os ‘media’ norte-americanos, Yan Xiong pode agora estar na corrida para representar o Estado de Nova Iorque. Segundo a justiça, Qiming Lin, policia aposentado suspeito de trabalhar para as autoridades chinesas, recrutou um detective particular nos Estados Unidos para monitorizar o candidato e desacreditá-lo. Um outro caso visou Fan Liu, responsável de uma empresa de comunicações, e Matthew Ziburis, guarda-costas, detidos em Março, em Nova Iorque, acusados de espiarem opositores do regime chinês nos Estados Unidos e de terem realizado uma campanha de difamação contra estes.

       

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau