Edição do dia

Terça-feira, 9 de Agosto, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.9 ° C
27.9 °
27.7 °
83 %
6.2kmh
40 %
Ter
28 °
Qua
29 °
Qui
28 °
Sex
29 °
Sáb
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Política Governo satisfeito com serviços da japonesa Mitsubishi no Metro Ligeiro

      Governo satisfeito com serviços da japonesa Mitsubishi no Metro Ligeiro

      A garantia foi dada pelo secretário para os Transportes e Obras Públicas, Raimundo Arrais do Rosário, que acrescentou que uma mudança nesta altura do campeonato poderia acarretar diversos problemas, que, no entendimento do governante, não se justificam. Licenciamento da rede 5G ainda é para acontecer este ano e os serviços postais indisponíveis para países como Brasil, Angola ou Moçambique, são questões na ordem do dia para os CTT – Macau, garante a directora do organismo, Derby Lau.

       

      O Governo de Macau está contente com o trabalho realizado pela Mitsubishi Heavy Industries em todo o processo do Metro Ligeiro de Macau. Em declarações aos jornalistas, à margem das actividades comemorativas do Dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade da Informação, o secretário para os Transportes e Obras Públicas, Raimundo Arrais do Rosário, admitiu essa satisfação, nomeadamente no que ao nível da tecnologia introduzida na primeira linha da Taipa diz respeito

      O governante explicou que não fazia sentido entregar a execução das novas extensões – Taipa, Barra, Hengqin e Seac Pai Van – a outra empresa, uma vez que, se assim fosse, teria de se mudar o sistema todo. “Não é fácil de mudar. Se começámos a Linha da Taipa com uma determinada tecnologia, agora, nestas extensões, se mudarmos de tecnologia teríamos de fazer um outro parque material de oficinas”, explicou o macaense.

      Raimundo Arrais do Rosário referiu ainda que a adjudicação à empresa japonesa surge de forma natural e não vê qualquer problema que a mesma tenha sido anunciada à comunicação social pela Mitsubishi Heavy Industries. “O Governo anuncia muito pouco, mas disponibilizamos toda a informação nos sites dos serviços em adjudicações de obras ou de prestação de serviços de valores elevados, na ordem dos milhões de patacas”, admitiu.

      O secretário para os Transportes e Obras Públicas assumiu que o início da construção da Linha Este do Metro Ligeiro deverá acontecer ainda este ano, tal e qual a data de lançamento do concurso público de terras e ainda o licenciamento da rede 5G.

      Por último, o governante considerou que o processo é “complexo”, pois incluía a necessidade de lidar com activos licenciados e outras questões, e as autoridades continuam a estudar como avançar os trabalhos de licenciamento antes de uma revisão à da lei de telecomunicações, cujo trabalho legislativo tem vindo a ser preparado.

       

      5G é prioridade das autoridades

       

      Depois de Raimundo do Rosário ter confirmado que o processo de licenciamento da rede móvel será realizado ainda este ano, a directora dos Serviços de Correios e Telecomunicações (CTT – Macau), Derby Lau, sublinhou as declarações da tutela. “O licenciamento do 5G é uma prioridade porque antes tínhamos discutido entre licenciamento de 5G de activos de concessões e o contrato de concessões. E agora vamos iniciar o processo de licenciamento de 5G. Espero que aconteça ainda este ano”, afirmou a responsável, explicando que ambas as situações podem ser tratadas de modo independente.

      Ao mesmo tempo, acrescentou Derby Lau, o processo de licenciamento do 5G não irá colocar em causa o actual contrato com a CTM, que termina em 2023. “Como o licenciamento do 5G é prioritário, talvez possamos tratar primeiro desse processo e depois tratar do contrato da concessão da CTM.”

      Instada a comentar o facto de quase há três anos certos destinos não poderem receber sequer uma simples carta oriunda de Macau, Derby Lau lamentou o sucedido e explicou que os problemas de envio de correspondência advêm das restrições pandémicas em vigor em Macau, mas não só. A responsável referiu ainda que também devido a interrupções de várias rotas aéreas, tudo se tornou mais difícil.

      Neste momento, existem várias restrições para quem, em Macau, quer enviar correspondência postal para diversos países. Dentro do universo lusófono, particamente só Portugal tem uma ligação sólida com Macau, com todos os serviços postais disponíveis, apesar dos grandes atrasos, nunca inferiores a quatro semanas. O Brasil, por exemplo, tem neste momento todos os serviços postais suspensos com Macau. Entre os dois destinos só mesmo com a ajuda de uma empresa privada de envio de encomendas como a DHL ou a Fedex. Angola, Guiné-Bissau ou Moçambique, em África, também têm os serviços postais suspensos com Macau.

       

      PONTO FINAL