Edição do dia

Segunda-feira, 16 de Maio, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
19.9 ° C
19.9 °
18.8 °
88 %
8.2kmh
40 %
Seg
21 °
Ter
24 °
Qua
25 °
Qui
25 °
Sex
26 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Lusofonia Governo timorense aprova orçamento retificativo de cerca de 1,1 mil milhões de...

      Governo timorense aprova orçamento retificativo de cerca de 1,1 mil milhões de dólares

      O Governo timorense aprovou ontem um orçamento retificativo de cerca de 1,1 mil milhões de dólares que pretende concretizar várias promessas eleitorais feitas durante a campanha das eleições presidenciais.

       

      O retificativo, que vai ser enviado ainda esta semana para o Parlamento Nacional, foi aprovado numa reunião do Conselho de Ministros e inclui várias medidas anunciadas pelo primeiro-ministro Taur Matan Ruak durante a campanha da segunda volta das presidenciais.

      “Tendo em conta a situação económica internacional e o aumento substancial da taxa de inflação, torna-se necessário aplicar medidas para mitigar o seu impacto económico, prevendo-se as dotações orçamentais necessárias para financiar este conjunto de medidas”, explica o executivo em comunicado.

      Recorde-se que os três partidos do Governo, que esta semana anunciaram um reforço da plataforma a pensar nas eleições de 2023, estiveram juntos na segunda volta das presidenciais no apoio ao atual chefe de Estado, Francisco Guterres Lú-Olo.

      Em comunicado o executivo explica além do Orçamento Geral do Estado (OGE) retificativo foram ainda aprovadas, com impacto financeiro, alterações à Lei Tributária e para a criação do Fundo dos Combatentes da Libertação Nacional.

      O OGE para 2022 tinha sido inicialmente em 1.949 milhões de dólares, passando com o retificativo a ser de quase três mil milhões de dólares, o valor mais elevado de sempre. Entre as medidas previstas contam-se a atribuição de um pagamento de 200 dólares americanos a cada família do país (excepto funcionários públicos), em jeito de 13º mês.

      O reforço do programa de habitação social Uma Kbi’it Laek Plus, bolsas de estudos para os melhores alunos do ensino básico e secundário e um programa de mão-de-obra ao nível dos postos administrativos do país estão ainda abrangidos.

      A criação do Fundo dos Veteranos a construção da Sede das Artes Marciais e Artes Rituais, um programa de ensino em casa (eskola iha uma), fornecimento de internet grátis nas escolas e “emprego para os melhores alunos universitários” são outras medidas anunciadas ontem. Inclui ainda o estabelecimento da Secretaria de Estado dos Assuntos dos Trabalhadores no Exterior e da Comunidade Timorense na Diáspora, a revitalização do sector do café, a criação de um subsídio de alojamento para a Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL) e as Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL), pagamento ainda a “diferença de remuneração da PNTL, com o novo regime salarial, num total de 4.096 beneficiários.

      Com a proposta de lei aprovada ontem, cria-se ainda o Fundo dos Combatentes da Libertação Nacional, “com o valor de mil milhões de dólares americanos, para garantir o financiamento adequado dos programas de apoio aos Combatentes da Libertação Nacional, designadamente nas áreas do apoio social, da educação, da saúde, do emprego, do acesso ao crédito e das atividades geradoras de rendimento”.

      Durante a reunião de ontem o ministro das Finanças, Rui Gomes, apresentou detalhes da taxa de execução orçamental do primeiro trimestre do ano. Entre 1 de Faneiro e 31 de Março a execução orçamental atingiu um valor de 160,8 milhões de dólares ou 8% do total inicialmente orçamentado.

       

      Lusa

       

       

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau