Edição do dia

Terça-feira, 9 de Agosto, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
27.9 ° C
27.9 °
26.9 °
83 %
5.1kmh
20 %
Seg
28 °
Ter
28 °
Qua
29 °
Qui
28 °
Sex
29 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Cultura Fundação Rui Cunha apresenta exposição de arte colectiva

      Fundação Rui Cunha apresenta exposição de arte colectiva

      A Fundação Rui Cunha promove, amanhã, dia 20 de Abril, pelas 18h30, uma exposição de arte colectiva no âmbito do seu 10.º aniversário com cerca de 40 peças de arte, que vão da pintura à fotografia, passando pela escultura e instalação, de artistas que expuseram, nos últimos dez anos, nas paredes da galeria da fundação. A mostra reúne diferentes obras representativas de “artistas cujas origens, estilos e percursos profissionais partilham uma ligação comum com Macau e uma ligação intrínseca a esta galeria”, lê-se no comunicado de imprensa da Fundação Rui Cunha.

      Participam neste projecto, por ordem alfabética, Álvaro Barbosa, Andre Lui, António Duarte Mil-Homens, Arlinda Frota, Aya Lei, Benson Lam, Cai Guojie, Cathy Cheong, Chan Cheok Yu, Denis Murrell, Fortes Pakeong Sequeira, Gigi Lee , Gonçalo Lobo Pinheiro, GuYue, Heidi Ng, Hong San San, Ieong Weng Ian, Ines Chan, Jet Wu, John Leung, José Basto da Silva, Kam Chin Lei, Lai Sio Kit, Lai Sut Weng, Lampo Leong, Lee Chau Peng , Mel Cheong, Meng Li, Nuno Veloso, Rafaela Silva, Rhys Lai, Sou Kim Leoung, Stella Fong Hoi Lam, Todi Kong de Sousa, Wang Lan e Wong Soi Lon.

      “Através deste conjunto heterogéneo de obras, que reflectem as múltiplas perspectivas de uma história construída ao longo de 10 anos, os artistas mostram a sua arte através de trabalhos diversificados que são potenciados pelos seus processos criativos pessoais. A mostra oferece ao público um panorama colectivo ilustrativo e distinto da estética clássica e contemporânea do universo artístico das artes plásticas de Macau, nas suas mais variadas formas e texturas, que se enquadram perfeitamente no ambiente desta Fundação, ele próprio rodeado de histórias”, pode ler-se no manifesto da exposição, que ainda destaca o facto de haver “peças novas e algumas antigas, sendo dada a cada autor total liberdade para criar”.

      A exposição, que abre portas ao público local e pretende dar corpo à “continuação de um longo e profícuo trabalho ao serviço das artes e da cultura” em Macau, ficará em cartaz até 7 de Maio.

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau