Edição do dia

Quarta-feira, 7 de Dezembro, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu limpo
19.9 ° C
20.9 °
19.9 °
68 %
6.2kmh
0 %
Qua
20 °
Qui
22 °
Sex
22 °
Sáb
22 °
Dom
21 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Internacional Julian Lennon canta “Imagine” pela primeira vez, em apoio à Ucrânia

      Julian Lennon canta “Imagine” pela primeira vez, em apoio à Ucrânia

      O filho de John Lennon e Cynthia Powell considera que a guerra na Ucrânia é “uma tragédia imaginável” e, por isso, quebrou a promessa de que apenas interpretaria a canção no “fim do mundo”. O teledisco, publicado no YouTube, é feito em parceria com o guitarrista português Nuno Bettencourt, da banda norte-americana Extreme.

       

      Julian Lennon, filho do malogrado cantor dos The Beatles John Lennon, publicou, pela primeira vez, a sua versão da música “Imagine” consagrada pelo pai no início dos anos de 1970. O também músico tinha prometido que apenas consideraria cantar o tema, uma única vez, no “fim do mundo”. “Pela primeira vez, apresentei publicamente a música do meu pai ‘Imagine’”, escreveu numa publicação no Youtube, com mais de 1,5 milhões de visualizações em apenas 48h.

      O artista, cuja carreira como músico começou em 1984 com o lançamento de seu álbum “Valotte”, escreveu que escolheu a música em parte porque a sua letra “reflecte o desejo colectivo de paz em todo o mundo”. “Porque dentro dessa música somos transportados para um espaço, onde o amor e a união se tornam a nossa realidade, mesmo que por um momento”.

      O britânico de 59 anos, filho de John Lennon com Cynthia Powell, considera que a guerra na Ucrânia é “uma tragédia inimaginável”, e como humano e como artista sentiu-se compelido a responder da maneira mais significativa que pode. “Como resultado da violência assassina em curso, milhões de famílias inocentes foram forçadas a deixar o conforto das suas casas para buscar asilo noutro lugar”, apontou Julian, que escreveu ainda que a música do pai “reflecte a luz no fim do túnel, que todos esperamos”.

      Num vídeo da performance, com duração de três minutos e vinte segundos, Julian Lennon e o guitarrista português, da banda Extreme, Nuno Bettencourt estão sentados numa sala iluminada por velas. A câmara gira lentamente à volta dos dois músicos enquanto Lennon interpreta a famosa canção.

      Julian, cujo primeiro nome é igualmente John, como seu pai, convocou ainda os líderes mundiais e todos os que acreditam no sentimento por detrás da música “Imagine”, “a defenderem os refugiados em todos os lugares”. Ao mesmo tempo, anunciou apoio à campanha #StandUpForUkraine, organizada pela organização não governamental e sem fins lucrativos Global Citizen.

      Um evento em Varsóvia, na Polónia, no passado sábado em apoio à angariação de fundos arrecadou cerca de 80 mil milhões de patacas para os refugiados ucranianos, com quase metade do valor a surgir na forma de doações de governos, empresas e indivíduos . A outra parcela foram doações e empréstimos de instituições financeiras públicas europeias.

      O movimento #StandUpForUkraine tem vindo a ganhar forma nas últimas semanas. Os irlandeses U2 fizeram uma versão de “Walk On”; o norte-americano Bruce Springsteen deixou uma mensagem a apelar à ajuda aos refugiados e Eddie Vedder, vocalista dos Pearl Jam, também pediu aos governos de todo o mundo para ajudaram a evitar “uma tragédia de proporções épicas”.

      Yoko Ono, viúva de John Lennon, que foi creditada por ajudar a criar “Imagine”, também criou uma campanha em larga escala com publicidade em outdoors em cidades como Nova Iorque, Londres ou Seul com a mensagem: “Imagine Peace”.