Edição do dia

Quarta-feira, 22 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva fraca
26.3 ° C
27.6 °
25.9 °
94 %
2.1kmh
40 %
Qua
26 °
Qui
27 °
Sex
27 °
Sáb
27 °
Dom
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioCulturaTradutores de Saramago dão ‘webinar’ na Universidade de Macau

      Tradutores de Saramago dão ‘webinar’ na Universidade de Macau

      No âmbito das comemorações do centenário do nascimento do português José Saramago, o departamento de Português da UM, através do seu Centro de Investigação de Estudos Luso-Asiáticos, está a realizar iniciativas online em homenagem ao Nobel de Literatura. Os tradutores do escritor para chinês e japonês compartilharão as suas experiências.

      José Saramago nasceu há 100 anos. Para comemorar a efeméride, o Centro de Investigação de Estudos Luso-Asiáticos (CIELA) do departamento de Português da Universidade de Macau (UM) tem vindo a promover algumas iniciativas no início deste ano sobre a vida e obra do Nobel da Literatura português. “O centenário de nascimento está a ser comemorado em todo o mundo por muitas instituições académicas e não académicas”, sendo que o departamento de Português da UM, através do CIELA, “vai também comemorar esta ocasião”.

      Depois do seminário online realizado nos dias 21, 22 e 24 de Março com a professora Helena Carvalhão Buesco, da Universidade de Lisboa, no próximo dia 7 de Abril, das 19h às 20h (hora local), haverá lugar a um ‘webinar’ com dois dos tradutores de Saramago para chinês e japonês. A sessão, que será realizada em português pode ser acompanhada via Zoom no link https://umac.zoom.us/j/95339592093, será moderada pelos professores do departamento de Português da UM, Zhang Jianbo e Mário Pinharanda Nunes, este último é igualmente o responsável pelo CIELA.

      “Saramago em chinês e japonês: conversando com os tradutores” é o título da conversa que juntará Wang Yuan, tradutor do escritor para chinês, e Maho Kinoshita, tradutora para japonês. Ambos compartilharão as suas experiências pessoais na tradução do autor para esses respectivos idiomas.

      Os desafios são imensos. José Saramago “não é apenas um autor de destaque na esfera literária portuguesa, mas há muito que faz parte do grupo dos autores mais significativos e lidos que moldaram a literatura mundial do século XX”. Mais. Saramago é conhecido pelo uso muito particular da pontuação, bem como por recorrer a muitas referências históricas próprias de Portugal, mas muitas vezes desconhecidas do leitor estrangeiro e, consequentemente, do próprio tradutor.

      Esses e outros desafios que surgem nas obras do Nobel da Literatura podem ser enfrentados e possivelmente resolvidos pelos leitores chineses e japoneses, e é isso que os dois tradutores convidados compartilharão com o público, pode ler-se numa nota de imprensa do CIELA. “O foco será especificamente nos romances ‘A Viagem do Elefante’ e ‘Todos os Nomes’. Uma perspectiva geral das traduções de Saramago na China e no Japão, bem como a receptividade do autor em ambos os países, também serão discutidas”, anunciou ainda o professor Mário Pinharanda Nunes.

      Wang Yuan é docente do departamento de Português e Espanhol da Escola de Línguas Estrangeiras da Universidade de Pequim. Para além de Saramago, é tradutor de outros autores lusófonos como os africanos José Eduardo Agualusa e Mia Couto, o brasileiro Jorge Amado ou o também português António Lobo Antunes.

      Maho Kinoshita venceu há três anos o maior prémio de tradução do Japão com a tradução do romance “Galveias”, de José Luís Peixoto. É a assessora cultural do Centro Cultural Português em Tóquio, dirigido por Tiago Maurício. Já traduziu filmes e diversas obras literárias que surgem no âmbito da série de literatura portuguesa contemporânea daquele centro cultural, em colaboração com a editora Gendai Kikakushitsu.

      Este ‘webinar’, cujo principal público-alvo são estudantes avançados de licenciatura e pós-graduação que estejam a estudar ou interessados ​​em estudos literários em língua portuguesa, tem o apoio da Fundação José Saramago, da Secção Cultural da Embaixada de Portugal em Pequim e ao Centro Cultural Português Camões, da Embaixada de Portugal em Tóquio.