Edição do dia

Quarta-feira, 28 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
15.9 ° C
18.9 °
15.9 °
77 %
2.1kmh
40 %
Qua
20 °
Qui
21 °
Sex
17 °
Sáb
15 °
Dom
20 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Política Executivo anuncia possibilidade de empresas locais de medicina chinesa produzirem na...

      Executivo anuncia possibilidade de empresas locais de medicina chinesa produzirem na Grande Baía

      A novidade foi revelada pelo presidente do Instituto para a Supervisão e Administração Farmacêutica em resposta a uma interpelação escrita do deputado da AL Leong Sun Iok. Ao mesmo tempo, refere Choi Peng Cheong, as autoridades estão a estudar a possibilidade de simplificação do processo de aprovação para a listagem de medicamentos de patente chinesa para uso externo.

      O Governo liderado por Ho Iat Seng está a encarar a possibilidade de permitir que as empresas locais de medicina chinesa possam abrir fábricas e produzam na área da Grande Baía, indicou Choi Peng Cheong, presidente do Instituto de Administração Farmacêutica (ISAF), numa resposta a uma interpelação escrita do deputado da Assembleia Legislativa (AL) Leong Sun Iok.

      A acontecer isso só será aplicável a empresas com licenças de comercialização de medicamentos no continente. Por isso, as empresas locais são encorajadas a “agarrar a oportunidade” e a prepararem-se para o futuro em Hengqin, afirmou o presidente da ISAF, que garantiu total apoio das autoridades. “O Governo da RAEM impulsiona proactivamente o desenvolvimento da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), a formação da indústria de saúde e o desenvolvimento da diversificação adequada económica através do desenvolvimento do ordenamento jurídico, da prestação de serviço, da formação de quadros qualificados, da promoção da cultura e da cooperação regional e internacional no âmbito da MTC.”

      Na resposta ao parlamentar da Federação das Associações dos Operários de Macau (FAOM), Choi Peng Cheong admitiu ainda que o Governo local está a explorar a oportunidade de simplificar o processo de aprovação para a listagem de medicamentos de patente chinesa para uso externo na área da Grande Baía, bem como pretende priorizar o processo de revisão e aprovação para o desenvolvimento de novos medicamentos da RAEM”.

      De acordo com o plano contemplado para a Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin “estão em fase de conclusão três projectos-chave no Parque Científico e Industrial de Medicina Tradicional Chinesa (GMTCM, na sigla inglesa), incluindo o projecto Ruilian Wellness Resort, a área para um museu dedicado à medicina tradicional chinesa e a rua temática da medicina chinesa Ola Lotus. “No ‘Projecto Geral de Construção da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin’ indica expressamente que serão desenvolvidas a indústria da MTC e outras indústrias de marca de Macau”, lembrou o responsável.

      Na resposta ao operário Leong Sun Iok, o presidente do ISAF relembrou ainda que, de acordo com dados oficiais, existem 54 empresas de Macau registadas no parque GMTCM, representando 24,5 por cento do total de 220 empresas registadas.

      No que diz respeito aos cuidados de saúde, o Complexo de Cuidados de Saúde das Ilhas irá, através de introdução de um novo modelo de exploração e gestão, proporcionar aos residentes serviços de cuidados de saúde de melhor qualidade, e aproveitar esta ocasião para estudar a viabilidade da “saúde + turismo”, promovendo o desenvolvimento da indústria de saúde, notou igualmente Choi Peng Cheong.

      PONTO FINAL