Edição do dia

Terça-feira, 21 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva fraca
25.6 ° C
25.9 °
24.8 °
94 %
4.6kmh
40 %
Ter
25 °
Qua
25 °
Qui
24 °
Sex
27 °
Sáb
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioCulturaCasa do Brasil volta a comemorar o Carnaval dois anos depois

      Casa do Brasil volta a comemorar o Carnaval dois anos depois

      Vestidos a rigor é o mote da associação para mais uma festa carnavalesca promovida pela Associação Casa do Brasil em Macau. Mas também podem aparecer sem estar fantasiados, afirmou Jane Martins, presidente da entidade. A folia acontece no próximo sábado no The Roadhouse, na Broadway Macau. “As pessoas estão a precisar de descontrair”, considera a brasileira.

       

      O Carnaval está de volta a Macau depois de dois anos de interregno devido à pandemia de Covid-19. No próximo sábado, dia 5 de Março, a partir das 22 horas e sem hora para terminar, a Casa do Brasil em Macau volta a assinalar a festividade pela 11.ª vez com uma festa no The Roadhouse, na Broadway Macau situada no complexo do Galaxy. “Venham fantasiados, mas não é obrigatório. Cada um que apareça como quiser, mas apareça, será muito bem-vindo”, afirmou Jane Martins, presidente da associação ao PONTO FINAL.

      A noite, como noutros anos, convida à dança e à diversão. A entrada é gratuita e só se paga o que se consumir. A festa terá dupla actuação do grupo Dança Brasil, à meia-noite e à 1h da madrugada, e, nos entretantos, o DJ Cuco, com música africana e lusófona, e o DJ ATL, com música internacional, vão animando a malta.

      As celebrações do Carnaval voltam a ter lugar desde a última vez em 2019. Jane explica que a Covid-19 tramou a vontade de realizar a folia. “Em 2020 e 2021, não fizemos a festa de Carnaval em Macau por causa da pandemia. No Brasil houve Carnaval em 2020, mas em 2021 foi cancelado e este ano foi adiado para Abril”, referiu a brasileira.

      A responsável explicou ainda que, devido à proibição de barulho, a pista estará instalada dentro do estabelecimento, sendo que a esplanada continua do lado de fora “para quem quer ficar a conversar”. “As portas, a partir de certa hora, não podem ficar abertas, por isso, quem quiser dançar ou assistir às danças, tem de ficar dentro do Roadhouse. Quem quiser continuar a confraternizar fica na esplanada.”

      A última festa da Casa do Brasil aconteceu em Setembro de 2020, quando a Casa do Brasil conseguiu reunir cerca de 1000 pessoas no Vick’s, na Doca dos Pescadores, para celebrar a Independência do Brasil. Mas o espaço, e outras variantes, colocam a fasquia do número de pessoas bem abaixo. “Esperamos entre 400 a 500 pessoas. Essa é a nossa expectativa. Tenho conhecimento de quem está a organizar grupos, por isso apontamos para esses números. É muito complicado, neste momento, reunir 1000 pessoas, até porque o espaço do Roadhouse não aguenta”, assumiu a presidente da Casa do Brasil ao nosso jornal.

      Na página de evento no Facebook criada para a ocasião, apenas 20 pessoas disseram que vão estar presentes, enquanto 37 mostram interesse em ir. “As pessoas estão a precisar de descontrair. É uma festa onde todos se divertem e há muita alegria entre as pessoas. Em Macau, estamos a viver um momento muito diferente, os residentes não podem receber as famílias e amigos, para viajar é difícil por causa do período de quarentena na volta. Então sentimo-nos presos e sem saber se nas férias vamos poder visitar a família. Por isso acho que temos que fazer qualquer coisa para aliviar a tensão e uma festa alegre e divertida como as que fazemos vai fazer bem para todos. Vestir uma fantasia e extravasar um pouco vai ser divertido”, apontou Jane Martins.

       

      PONTO FINAL