Edição do dia

Terça-feira, 25 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nublado
29.8 ° C
29.8 °
29.8 °
83 %
6.2kmh
100 %
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More

      NAVEGAR É PRECISO

       

      revistapiparote.com.br

       

      O título soará agressivo, mas está bem justificado pela influência de Machado de Assis. A Revista Piparote foi buscar o seu nome às Memórias Póstumas de Brás Cubas: «A obra em si mesma é tudo: se te agradar, fino leitor, pago-me da tarefa; se te não agradar, pago-te com um piparote, e adeus.» A frase é um modo de clarificar que nesta publicação não há cedências – os temas e as abordagens são escolhidos pela equipa e passam a estar disponíveis para o mundo a partir do momento em que se publicam, em papel e na internet. Quem desgostar, tem o quase infinito da rede para encontrar outras coisas para ler, ou fugir do piparote machadiano. De qualquer modo, há poucos motivos para não gostar de uma revista dedicada à literatura e ao ensaio, aos cruzamentos entre disciplinas artísticas e modos de olhar o mundo, sempre com uma atenção particular ao Brasil e à sua mais recente produção literária. No editorial, a revista apresenta-se assim: «A Revista Piparote é um espaço criado para o debate e para a divulgação de ideias no campo da Literatura e das Artes. Pretende-se divulgar no meio digital e impresso novos autores nacionais e internacionais; bem como lançar um piparote sobre o túmulo para reavivar a gênese dos mortos.»

      A edição mais recente apresenta, entre vários outros conteúdos, um conjunto de ilustrações da artista mineira Lume Ero reflectem sobre o Brasil contemporâneo, respigando as raízes de algumas das suas questões sociais e políticas em acontecimentos mais antigos. Há poemas inéditos de Glauco Mattoso e de Jussara Salazar, excertos do romance Tempo de Cão, da autora paulista Márcia Barbieri, ainda por publicar, e um ensaio de Gabriel Frias sobre reality shows e as suas tentativas frustradas de encenação da realidade. Há ainda uma homenagem a Pier Paolo Pasolini assinada pelo escritor Flávio Viegas Amoreira e um ensaio do historiador Leonardo Stockler sobre Charles Baudelaire e a sua relação – também literária – com o haxixe. Não serão precisos piparotes para enxotar leitores, já que há motivos de sobra para mergulhar nas páginas desta revista.

       

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau