Edição do dia

Sexta-feira, 24 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
aguaceiros fracos
25 ° C
25.9 °
24.9 °
100 %
2.1kmh
75 %
Sex
26 °
Sáb
26 °
Dom
28 °
Seg
28 °
Ter
27 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeIAS está a elaborar relatório sobre situação dos idosos em Macau

      IAS está a elaborar relatório sobre situação dos idosos em Macau

      O documento ficará concluído ainda este ano, segundo garantiu o presidente da entidade, Hon Wai, em resposta a uma interpelação escrita ao Governo do deputado da FAOM Lei Chan U, que se mostrou preocupado com o crescente envelhecimento da população de Macau e as oportunidades e desafios sem precedentes para a inclusão social e a qualidade de vida dessa franja da população.

       

      O Instituto de Acção Social (IAS) está a elaborar um relatório que visa concluir em que estado está a viver a população idosa de Macau, numa altura em que o crescente envelhecimento da população de Macau e as oportunidades e desafios sem precedentes para a inclusão social e a qualidade de vida dessa franja da população começa a preocupar.

      O documento, que deverá ficar pronto este ano, conforme revelou o presidente do IAS, Ho Wai, em resposta a uma interpelação escrita ao Governo redigida pelo deputado da Federação das Associações dos Operários de Macau (FAOM) Lei Chan U. “De acordo com o disposto no Regime jurídico de garantias dos direitos e interesses dos idosos, o IAS deve, depois de três anos a contar do dia da entrada em vigor da lei, elaborar o relatório de avaliação sobre a respectiva implementação. Actualmente, o IAS está em fase da preparação da elaboração do referido relatório, pelo que irá recolher os trabalhos concretos, informações e dados sobre a execução da Lei, para fazer uma análise global, procurando concluir o relatório em 2022”, disse o responsável.

      Lei Chan U tinha-se mostrado particularmente preocupado com aquilo que considera ser o “crescente envelhecimento da população”. “O aumento incessante da população idosa está a acarretar oportunidades e desafios sem precedentes para a inclusão social e a qualidade de vida”, notou.

      O Governo definiu o Regime jurídico de garantias dos direitos e interesses dos idosos, no sentido de reforçar as garantias sob os princípios da “independência”, “participação activa”, “usufruto de cuidados e protecção da família e da comunidade”, “auto-realização” e “dignidade”. Esse articulado prevê, lembrou o deputado operário, a realização de estudos e avaliação sobre os temas envolvidos. Neste particular, o IAS referiu que, nos últimos três anos, iniciou “o estudo sobre a situação de vida dos idosos e a procura dos serviços de cuidados de longo prazo na RAEM, o estudo de viabilidade sobre a atribuição de subsídio para os cuidadores, o estudo temático sobre a preparação dos residentes de Macau para a sua vida de velhice e o seu processo de desenvolvimento contínuo, bem como ainda o estudo da viabilidade da “hipoteca reversa”, inquérito sobre o planeamento dos apartamentos para idosos, entre outros trabalhos”.

      Em simultâneo, explicou ainda o IAS ao parlamentar eleito por sufrágio indirecto, “a fim de dar resposta às oportunidades e desafios surgidos na sociedade envelhecida, procede-se a estudos sobre a preparação e a escolha de propostas relativas ao aumento da consciência do planeamento sobre a vida de velhice, saúde física e mental, protecção da vida, bem como os trabalhos preparatórios substanciais sobre a resolução dos problemas da deslocação dos idosos que vivem nos edifícios antigos sem elevadores”.

      Em conjunto com os outros serviços públicos, considerados pertinentes pelo IAS, a entidade garantiu ter procedido à avaliação de médio prazo do Plano Decenal de Acção para os Serviços de Apoio a Idosos. “Além do âmbito de acção social, os serviços públicos em causa também procedem, de acordo com as necessidades da sociedade e planeamento de trabalhos, a estudos e avaliações relevantes, designadamente, a Avaliação da Condição Física da População de Macau 2020 do Instituto do Desporto e o Relatório de avaliação sobre ‘Regime de previdência centro não obrigatório’ do Fundo de Segurança Social, notou Hon Wai.

       

      PONTO FINAL