Edição do dia

Terça-feira, 9 de Agosto, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.9 ° C
27.9 °
27.7 °
83 %
6.2kmh
40 %
Ter
28 °
Qua
29 °
Qui
28 °
Sex
29 °
Sáb
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Empresa de Hong Kong cria réplica de ‘bomba’ da Guarda Nacional Republicana

      Empresa de Hong Kong cria réplica de ‘bomba’ da Guarda Nacional Republicana

      Uma miniatura à escala de 1:64 é a proposta da Era Car, uma empresa de Hong Kong que se dedica a fazer carros de colecção. Se pretende adquirir o modelo do Nissan GT-R, usado pelas autoridades portuguesas para transportes de órgãos, tire o cavalinho da chuva. A réplica já se encontra esgotada. Apesar de desconhecer a existência da miniatura de colecção, a GNR “nada obsta à existência de um modelo replicado de uma viatura que serve uma missão tão nobre”.

       

      O mundo do coleccionismo tem destas coisas. A empresa de Hong Kong Era Car, especializada em produzir réplicas de automóveis para colecção ou, simplesmente, para crianças brincarem, tem no seu catálogo um carro bem conhecido dos portugueses: o Nissan GT-R Black Edition da Guarda Nacional Republicana (GNR), usado por aquela força de segurança para transporte de órgãos transplantados.

      Em declarações ao PONTO FINAL, o responsável do departamento de vendas da Era Car, Alex Chan, mostrou-se surpreendido com o interesse criado à volta da réplica e explicou como surgiu a ideia. “Uma pessoa aqui na empresa viu uma notícia de Portugal sobre o carro. Foi uma notícia muito vista na Europa e, também devido à importância do assunto, decidimos fazer uma réplica do carro. Foi bom também para o mercado europeu”.

      A réplica, à escala de 1:64 e produzida ao detalhe pela Era Car, faz parte da colecção de 2021 e foi lançada em Outubro com o número 68 de um catálogo que caminha a passos largos das 150 viaturas. No geral, as réplicas são executadas a partir de modelos existentes de carros em Hong Kong, China continental, Taiwan, Coreia do Sul, Singapura ou Japão. Por isso, apesar de a Nissan ser uma marca nipónica, é com alguma surpresa que o carro “português” surge na colecção. “Produzimos 3.000 exemplares e está esgotado”, revelou Alex Chan, admitindo que “não há planos para fazer novas edições”.

      Na vida real, o potente veículo está equipado com um motor V6 de 3.8 litros e pode debitar um máximo de 530 cavalos de potência, atingindo uma velocidade máxima de 370 km/h. Isso quer dizer que, por exemplo, consegue fazer Lisboa-Porto em hora e meia. O veículo foi apreendido pelo Estado português numa investigação de crime fiscal e, no ano passado, antes em Março, passou para o serviço da GNR para fazer parte de uma missão que pretende salvar vidas às pessoas.

      Para além do GT-R, avaliado em cerca de 150 mil euros (1,4 milhões de patacas), a GNR também recebeu um Mercedes CLS que usa para o mesmo efeito. “Nos últimos 10 anos, a GNR já efectuou 2.836 transportes de órgãos, envolvendo cerca de 5.700 militares e percorrendo mais de meio milhão de quilómetros”, escreveu na altura a força de segurança no seu Facebook oficial, que acrescenta: “A qualidade e segurança do transplante de órgãos depende do tempo necessário para o seu transporte. Assim, cabe à GNR, e respeitando as condições de segurança, chegar ao seu destino no menor tempo possível, contribuindo assim para salvar mais uma vida.”

      A Era Car, antes de iniciar o processo de produção, entrou em contacto com a Nissan para obter autorização de replicar o Nissan GT-R Black Edition. Ao mesmo tempo, conforme explicou ao nosso jornal o responsável da empresa do território vizinho, foi pedido à marca japonesa que fizesse a ponte com a força de segurança portuguesa. “Para produção do modelo, a Era Car teve de entrar em contacto com a Nissan que, por sua vez, entrou em contacto com a GNR e colocou a nossa proposta à consideração para aprovação”, notou Alex Chan, revelando, uma vez mais alguma supressa e felicidade com o contacto do PONTO FINAL: “Estou muito contente por um jornal de Macau se mostrar interessado por esta réplica e pela nossa empresa, mas ao mesmo tempo fiquei surpreendido por saber que as pessoas de Macau ainda se interessam por coisas de Portugal.”

      A versão real do Nissan GT-R Black Edition da Guarda Nacional Republicana

      Ao nosso jornal, numa breve declaração enviada ao PONTO FINAL, assinada pelo chefe da divisão de Comunicação e Relações Públicas e porta-voz da força de segurança de natureza militar, o Tenente-coronel João Fonseca, a GNR referiu que “a caracterização do Nissan GT-R é uma caracterização única na Guarda, efectuada numa viatura específica e para servir o propósito do transporte de órgãos, pelo que é distinta da caracterização das restantes viaturas, ao serviço da GNR”.

      Ao mesmo tempo, a força de segurança portuguesa referiu não ter sido dita nem achada no processo, mas não vê qualquer mal nisso. “Embora não tenha existido contacto com a Guarda, nada obsta à existência de um modelo replicado em miniatura de uma viatura da Guarda Nacional Republicana que serve uma missão tão nobre.”

       

      *com Catarina Chan