Edição do dia

Quarta-feira, 28 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
15.9 ° C
18.9 °
15.9 °
77 %
2.1kmh
40 %
Qua
20 °
Qui
21 °
Sex
17 °
Sáb
15 °
Dom
20 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Grande China China e Equador começam a negociar acordo de comércio livre

      China e Equador começam a negociar acordo de comércio livre

      A China e o Equador assinaram ontem um memorando de entendimento, dois dias depois de os líderes de ambos os países terem concordado em iniciar negociações para um acordo de comércio livre. O documento surge num contexto de crescente aproximação entre países da Ásia e da América Latina.

       

      O Ministro do Comércio chinês, Wang Wentao, e o Ministro da Produção, Comércio Externo e Investimentos equatoriano, Julio Prado, assinaram um memorando de entendimento, que marca o início das negociações bilaterais no âmbito do comércio livre, segundo uma nota da diplomacia chinesa.

      No sábado passado, o Presidente da China, Xi Jinping, e o homólogo do Equador, Guillermo Lasso, reuniram, em Pequim, para dar início ao processo. O líder equatoriano espera que o acordo esteja concluído “até ao final de 2022”, segundo escreveu na rede social Twitter.

      “A assinatura de um acordo de comércio livre vai ajudar a ampliar o potencial do comércio bilateral e o seu desenvolvimento sustentado, estável e diversificado”, lê-se no comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China.

      A China foi o segundo parceiro comercial mais importante do Equador nos últimos dois anos. Em 2021, o intercâmbio comercial entre os dois países ascendeu a cerca de 11 mil milhões de dólares, 44,5% a mais que no ano anterior.

      Também a Coreia do Sul e o México concordaram ontem em intensificar os seus laços e intercâmbios e explorar a criação de um acordo comercial, aproveitando a celebração do 60º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas.

      O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Sul, Choi Jong-kun, e a homóloga mexicana, Carmen Moreno, reuniram-se ontem, em Seul, para discutir formas de promover o comércio, investimento e outros intercâmbios, com o objetivo de “fortalecer ainda mais a parceria estratégica entre os dois países”, segundo a diplomacia do país asiático.

      Na primeira reunião consultiva bilateral a este nível em sete anos, Choi e Moreno concordaram em aprofundar a sua relação, com o objectivo de promover um acordo comercial que há anos tentam concretizar e cujas negociações estão paralisadas desde 2008.

      A Coreia do Sul busca ampliar a sua presença no mercado latino-americano, fundamental para as suas exportações, pelo mesmo motivo pelo qual demonstrou interesse em fazer parte da Aliança do Pacífico, bloco comercial criado em 2012 pelo Chile, Colômbia, Peru e México.

      O México é o nono destino mundial das exportações sul-coreanas, avaliadas em cerca de 11,3 mil milhões de dólares em 2021, enquanto a Coreia do Sul é o quarto parceiro comercial do país norte-americano, segundo dados do governo de Seul. Lusa

       

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau