Edição do dia

Segunda-feira, 16 de Maio, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
19.9 ° C
19.9 °
18.8 °
88 %
8.2kmh
40 %
Seg
21 °
Ter
24 °
Qua
25 °
Qui
25 °
Sex
26 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Cultura Mok Ian Ian deixa Instituto Cultural e passa para o Centro...

      Mok Ian Ian deixa Instituto Cultural e passa para o Centro de Ciência de Macau

      Consoante um despacho do Chefe do Executivo publicado ontem em Boletim Oficial, a antiga presidente do Instituto de Cultural, Mok Ian Ian, vai passar a desempenhar funções no Centro de Ciência de Macau. O mandato de Mok Ian Ian deveria ter acabado em Fevereiro de 2023. Contudo, a ex-dirigente deixou o seu cargo com a antecedência de um ano.

       

      Mok Ian Ian deixou a liderança do Instituto Cultural (IC) e assumiu a presidência do Conselho de Administração do Centro de Ciência de Macau, foi ontem anunciado. Segundo um despacho do Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, datado de 14 de Janeiro, mas divulgado ontem, o Governo nomeou “em comissão eventual de serviço, Mok Ian Ian, pessoal do quadro do Gabinete de Comunicação Social, para desempenhar funções no Centro de Ciência de Macau, S.A., pelo período de um ano, a partir de 19 de Janeiro de 2022”, pode ler-se na nota publicada em Boletim Oficial.

      O Centro de Ciência de Macau também confirmou oficialmente a notícia na sua página oficial. “Mok Ian Ian toma posse como nova presidente do Conselho de Administração do Centro de Ciência de Macau”. “Tendo em conta a vaga do cargo de Presidente do Conselho de Administração e o desenvolvimento sustentável do Centro de Ciência de Macau, conforme dispuser o Estatuto, o Conselho de Administração, por meio de deliberação aprovada, nomeou a Dra. Mok Ian Ian como a Presidente do Conselho de Administração do Centro de Ciência de Macau”, acrescentando que medida entrou ontem em vigor.

      É ainda referido no comunicado que “o Centro de Ciência de Macau continuará a manter a sua missão de promover a educação científica aos jovens locais e a disseminação da tecnologia de ponta e da ciência, servindo como uma construção emblemática para o turismo, e também como uma plataforma na região para educação científica, convenções e exibições”, referindo também que “o Centro de Ciência de Macau continuará a servir o público sob a liderança da Presidente Mok Ian Ian e abrirá um novo capítulo para o nosso futuro desenvolvimento”.

       

      Saída surpresa

      A informação da saída de Mok Ian Ian foi avançada na terça-feira pelo portal ‘All About Macau’, mas o Governo não tinha dado qualquer sinal relativamente à rotatividade de pessoal no Instituto Cultural. Trata-se do segundo caso em que pessoal de direcção e chefia da administração pública cessou a função desde o início deste ano, após a saída da directora dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes, Chan Pou Ha, por motivos de aposentação.

      Recorde-se que em Fevereiro do ano passado o mandato de Mok Ian Ian foi renovado pelo Governo como presidente do IC por mais dois anos. Porém, a ex-dirigente deixou o cargo com a antecedência de um ano, mas o motivo não foi revelado. O PONTO FINAL contactou Mok Ian Ian para um comentário, mas a antiga líder do IC não quis prestar comentários devido à “rotina atarefada com o trabalho”.

      Mok Ian Ian licenciou-se em jornalismo internacional na Universidade de Jinan, Guangzhou, possuindo um mestrado e doutoramento em teatro da Universidade de Nanjing. Entrou na Administração Pública em 1994, tendo assumido cargo no Gabinete de Comunicação Social, Delegação da Região Administrativa Especial de Macau em Pequim, Fundo de Desenvolvimento da Cultura e Instituto Cultural. É também escritora e vogal da Associação de Dramaturgo da China e da Associação de Escritores da China. Foi nomeada presidente do IC em Fevereiro de 2018, por indicação do antigo secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, substituindo Cecilia Tse, que se demitiu menos de dois meses após assumir a posição alegando motivos de saúde.

      Durante os seus quatro anos de mandato como presidente do Instituto Cultural, Mok Ian Ian foi alvo de várias críticas alegando escassez e insuficiência na protecção e preservação do património cultural.

      O Executivo não revelou o nome do novo dirigente para a posição de presidente do Instituto Cultural. Nesta altura, Leong Wai Man, vice-presidente do IC, exerce o cargo como presidente substituta.

      Ao longo dos últimos 22 anos, desde a transferência da soberania de Macau para a China, o cargo de presidente do Instituto de Cultural já foi ocupado por 6 individualidades: Wang Zeng Yang (20 de Dezembro de 1999 a 25 de Julho de 2000), Heidi Ho (26 de Julho de 2000 a 28 de Fevereiro de 2010), Ung Vai Meng (1 de Março de 2010 a 16 de Fevereiro de 2017), Leung Hio Ming (17 de Fevereiro de 2017 a 17 de Dezembro de 2017), Cecilia Tse (19 de Dezembro de 2017 a 29 de Janeiro de 2018) e Mok Ian Ian (7 de Fevereiro de 2018 a 19 de Janeiro de 2022). Os quadros de direcção do organismo têm sofrido mudanças com frequência, algo ainda mais visível nos últimos anos.

      Na carta de despedida de Mok Ian Ian, a antiga presidente do IC agradeceu aos colegas e elogiou os êxitos conseguidos nos projectos lançados ao longo do seu mandato de quatro anos, nomeadamente o sarau cultural de celebração do 20.º aniversário do regresso de Macau à Pátria, Arte Macau, Festival Internacional de Música de Macau, Festival de Artes de Macau, Comemoração de Dia Mundial do Livro “4‧23 Lendo em Toda a Cidade”, “Encontro em Macau” Festival de Artes e Cultura entre a China e os Países de Língua Portuguesa e “Visitar o Porto Interior, Taipa e Coloane seguindo os filmes”. Afirmou também estar honrada por ter testemunhado alguns momentos significativos como a Gastronomia Macaense, o Teatro em Patuá e a Crença e Costumes de Tou Tei, que foram seleccionados com sucesso para serem incluídos na lista de itens do património cultural imaterial a nível nacional.

      “A vida é uma prova. Nós lemos livros, trabalhamos e viajamos, é para ver mais do mundo para além das nossas próprias vidas. No final, trata-se de uma prova para o nosso coração – adequar-se a um coração tranquilo, bondoso e agradecido. Mesmo o caminho mais longo tem um fim, e mesmo o espectáculo de teatro mais maravilhoso tem um final”, escreveu Mok Ian Ian, na sua carta de despedida.

       

      PONTO FINAL