Edição do dia

Quinta-feira, 18 de Agosto, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens quebradas
25.9 ° C
27.1 °
25.9 °
94 %
6.2kmh
75 %
Qua
28 °
Qui
30 °
Sex
31 °
Sáb
29 °
Dom
29 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Região Activista pró-independência Edward Leung libertado da prisão em Hong Kong

      Activista pró-independência Edward Leung libertado da prisão em Hong Kong

      O activista Edward Leung, rosto do movimento independentista em Hong Kong, foi ontem libertado da prisão após quase quatro anos detido. “O departamento de serviços prisionais organizou a libertação do prisioneiro em questão da prisão Shek Pik, nas primeiras horas da manhã” de quarta-feira, referiu o organismo em comunicado.

      Edward Leung, de 30 anos, estava a conquistar espaço no cenário político quando o movimento de independência de Hong Kong ganhou força em 2016. A sua ascensão acabou interrompida em 2018, quando foi condenado a seis anos de prisão na sequência de um violento confronto com a polícia local em 2016, onde os manifestantes atiraram tijolos e queimaram pneus nas ruas.

      O activista foi transferido para uma prisão de alta segurança, mas o seu ‘slogan’ ‘Libertem Hong Kong: a revolução dos nossos tempos’ ganhou importância quando manifestantes pró-democracia o adotaram em 2019, utilizando-o como grito de guerra contra o governo chinês.

      O ‘slogan’, presente durante os enormes e por vezes violentos comícios pró-democracia, foi proibido no ano passado, na sequência da Lei de Segurança Nacional imposta em junho de 2020 por Pequim a Hong Kong em resposta aos grandes protestos de 2019, muitas vezes violentos, nos quais se exigiram reformas democráticas. Leung revelou, por volta das 05:45 de quarta-feira, que já estava junto da sua família. “Após quatro anos, quero aproveitar este precioso tempo que tenho com a minha família e voltar a ter uma vida normal. Gostaria de expressar a minha sincera gratidão pelo apoio”, referiu.

      O activista acrescentou que pretende “ficar longe dos holofotes e parar de utilizar as redes sociais”, estando legalmente obrigado a fazê-lo, uma vez que continua sob vigilância. Semanas antes, fontes do governo revelaram à comunicação social local que o activista iria “provavelmente ser vigiado”, visto as autoridades estarem cientes da sua influência nos movimentos de independência, que agora está muito enfraquecido.

      Edward Leung, que nasceu em 1991 em Wuhan, na China continental, foi um dos primeiros a exigir a independência de Hong Kong, antiga colónia britânica que passou para a soberania chinesa em 1997. Leung permaneceu em silêncio durante a maior parte de sua detenção, excepto em Julho de 2019, quando, após a escalada de violência, escreveu uma carta a apelar aos manifestantes para que não agissem cegados pelo ódio.

      Actualmente, ao abrigo da Lei de Segurança Nacional que entrou em vigor em 2020, pedir a independência de Hong Kong é punível com prisão, entre os dez anos e prisão perpétua.

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau