Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
15.9 ° C
17.9 °
15.9 °
88 %
3.1kmh
40 %
Qui
21 °
Sex
17 °
Sáb
16 °
Dom
20 °
Seg
22 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Cultura Plataforma independente de artistas na China destaca cena graffiti de Macau

      Plataforma independente de artistas na China destaca cena graffiti de Macau

      A RADII refere mesmo que, no território, existem três lugares onde se pode apreciar “impressionante” arte urbana. E recomenda-os. “Macau é uma cidade colorida e criativa”, escreve.

       

      Rua do Cunha, Coloane e Praça de Ponte e Horta. Estes são os locais de Macau que a plataforma independente de artistas RADII destaca para se apreciar arte urbana. Murais, grafitis e todo o tipo de pinturas de rua dão um toque mais vivo a uma cidade que vive em demasia de outro tipo de coisas. “Macau é uma cidade colorida e criativa, especialmente quando você se afasta dos hotéis luxuosos, shoppings chiques e casinos extravagantes e, em vez disso, olha para os bairros históricos da cidade”, pode ler-se na recomendação da plataforma.

      A plataforma recomenda um passeio pelas pequenas ruas e becos escondidos do território, principalmente nas zonas antigas da cidade. O antigo e o moderno caminham de mãos dadas. “Você pode ter que chegar lá de manhã cedo ou esperar até tarde para ver algumas pinturas nas portas de metal das lojas. E, claro, não se esqueça de verificar os becos, pois muitas obras estão escondidas por lá”, escreve a publicação em jeito de dica.

      O périplo começa na Taipa, na zona da movimentada Rua do Cunha. A RADII considera aquela velha zona da vila da Taipa “culturalmente rica”. “Tanto os moradores quanto os turistas gostam de ficar por ali para comer cozinha autêntica e ver arte”, refere a plataforma, admitindo que é um “privilégio” poder comer-se por ali e, ao mesmo, tempo “admirar a expressão artística” nas ruelas que, entre diversos autores, conta com uma obra do famoso artista português Vhils.

      O percurso segue para a vila piscatória de Coloane que, apesar do passar dos anos, tem o essencial da sua aparência antiga, ainda do tempo da Administração Portuguesa do território.

      O pitoresco e os edifícios ao estilo português jogam bem com os grafitis que por ali proliferam. A RADII escreve que “os artistas de arte urbana também deram nova vida à vila”. “Pelos caminhos podem ver-se vários estilos de murais pintados ou gravados em edifícios e paredes.”

      Na península de Macau há, segundo a plataforma artística, um local “único”. A zona da Praça de Ponte e Horta é palco, desde há alguns anos, de diversas “obras de arte” urbana em que se podem ver mesclas do moderno e do tradicional, com apologia à China, mas também a Portugal e a outros motivos que vão desde retratos, a figuras de banda desenhada e até alimentos. A zona, que sediou um festival de arte urbana em 2017, conta com trabalhos dos melhores grafiteiros locais e alguns internacionais.

      A RADII é uma plataforma independente chinesa de artistas, escritores e criadores fundada em 2017 pelo antigo vice-presidente do grupo Alibaba, Brian A. Wong. A RADII, que se “diz independente editorialmente” falando, tem vindo a criar conteúdo multimédia, eventos e workshops interactivos que procuram conectar os jovens em diversas partes do mundo.

       

       

      PONTO FINAL