Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Setembro, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.9 ° C
29.4 °
27.9 °
89 %
6.2kmh
40 %
Qui
28 °
Sex
28 °
Sáb
29 °
Dom
29 °
Seg
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Política Instalações complementares públicas não satisfazem a necessidade de população em Coloane

      Instalações complementares públicas não satisfazem a necessidade de população em Coloane

       

      Tendo recebido alguns queixas sobre a higiene ambiental e a escassez nos elementos complementares feitas pelos moradores de habitações públicas em Seac Pai Van, a deputada Ella Lei pede ao Executivo que se inteire das necessidades dos residentes para proceder a um efectivo acompanhamento.

       

      Numa interpelação escrita da deputada Ella Lei remetida ao Governo, a legisladora mostrou-se preocupada com as condições de vida dos moradores dos prédios de habitação pública das ilhas.

      A parlamentar apontou que o complexo das habitações públicas de Seac Pai Van já foi concluído há vários anos, e o número de habitantes tem aumentado. Apesar da melhoria dos elementos comunitários na sequência dos esforços envidados ao longo dos anos, as insuficiências nos trabalhos de aperfeiçoamento dos elementos complementares ainda têm sido um problema que constantemente incomoda os moradores daquela zona, por exemplo as instalações de diversão para crianças e de desporto continuam bastante insuficientes, no entender de Ella Lei, e dificilmente conseguem satisfazer as respectivas necessidades. A deputada ligada à Federação das Associações dos Operários de Macau (FAOM) considera que o Executivo deve recolher, de forma plena, as solicitações dos residentes e proceder ao devido acompanhamento.

      A deputada lembrou que o Governo tinha lançado a empreitada de arruamento e drenagem junto ao Reservatório de Seac Pai Van, que compreende várias instalações polivalentes de lazer e de diversão, tais como uma ciclovia, pista de jogging, trilhos e parques infantis. No entanto, a parlamentar questionou sobre a calendarização da sua abertura ao público, depois de ter recebido algumas queixas de residentes, dizendo que as obras já foram concluídas há meses, porém, aquela zona ainda não está disponível.

      Em resposta à interpelação, o director substituto, dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes (DSSOPT) salientou que o referido parque já tinha entrado em funcionamento em finais de Outubro do ano passado e está aberto 24 horas por dia, mas não explicou como aquelas queixas de moradores foram formuladas.

      No que toca ao terreno desocupado CN2c, Ella Lei verificou que se encontra cheio de ervas daninhas, com uma grande área de água estagnada, que escorre para o passeio, havendo proliferação de mosquitos e bichos, assim como problemas ao nível da higiene ambiental. A deputada argumentou que os serviços competentes têm de ter uma boa gestão para reduzir os impactos para os residentes e de tomar uma atitude mais dinâmica no planeamento e no bom aproveitamento dos terrenos desocupados, em vez de deixá-los permanentemente abandonados.

      O Instituto para os Assuntos Municipais (IAM) respondeu à interpelação submetida à Assembleia Legislativa salientando que o plano de construção de uma zona de lazer provisória no Lote CN2c de Seac Pai Van deve articular-se com os trabalhos do Plano Director, frisando que o respectivo lote ainda não foi aproveitado. O Executivo revelou que recentemente a DSSOPT realizou uma acção conjunta interdepartamental para a sua recuperação e que foi entregue posteriormente, juntamente com outros vários terrenos, ao IAM para uso provisório.

      No projecto do Plano Director da Região Administrativa Especial de Macau (2020-2040) foi proposta a disponibilização de mais terrenos, para além dos novos aterros urbanos, nomeadamente na Taipa e em Seac Pai Van, incluindo os terrenos afectos à habitação situados no Lote CN2c de Seac Pai Van.

       

       

       

      PONTO FINAL