Edição do dia

Domingo, 19 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva moderada
25.9 ° C
26.9 °
25.9 °
83 %
6.7kmh
40 %
Dom
25 °
Seg
24 °
Ter
25 °
Qua
25 °
Qui
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeCovid-19: Autoridades impõem novas medidas para quem vem de 22 países

      Covid-19: Autoridades impõem novas medidas para quem vem de 22 países

      André Vinagre

      As autoridades de saúde anunciaram ontem novas medidas para quem chega a Macau proveniente de 22 países considerados de “extremo alto risco”. Entre os países em causa estão o Brasil, Indonésia, Estados Unidos e Moçambique, por exemplo. As novas medidas entram em vigor no dia 6 de Janeiro. Na conferência de imprensa de ontem, foi também confirmado o 79.º caso de Covid-19 em Macau.

       

      Na conferência de imprensa de ontem do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus foram anunciadas novas medidas para quem chega a Macau proveniente de 22 países. As novas medidas vão entrar em vigor no dia 6 de Janeiro de 2022.

      A lista dos países em causa é: Bangladesh, Brasil, Camboja, Índia, Indonésia, Irão, Nepal, Paquistão, Filipinas, Rússia, África do Sul, Sri Lanka, Tanzânia, Turquia, Estados Unidos, Botswana, Zimbabué, Namíbia, Lesoto, Suazilândia, Moçambique ou Maláui.

      Ao abrigo das novas medidas, a partir das zero horas do dia 6 de Janeiro, todos os indivíduos provenientes destes países considerados “de extremo alto risco” devem apresentar os três certificados negativos do teste de ácido nucleico realizados, sucessivamente, nos últimos cinco dias. Os certificados devem ter pelo menos 24 horas de intervalo entre cada amostragem. Além disso, após a entrada em Macau, os indivíduos devem ser submetidos a um período de observação médica de 28 dias. Recorde-se que anteriormente o Executivo tinha mesmo fechado as fronteiras para quem vinha de alguns países africanos, como Moçambique ou África do Sul, devido à variante Ómicron.

      Quem parte de qualquer outro país em direcção a Macau deve apresentar um certificado negativo de teste de ácido nucleico com a amostra recolhida nas últimas 48 horas. Após a entrada em Macau, os indivíduos devem submeter-se a quarentena por 21 dias.

      Na conferência de imprensa de ontem, a responsável dos Serviços de Turismo (DST), Lau Fong Chi, informou que o hotel Lisboeta vai deixar de ser um dos hotéis para quarentenas a partir de 3 de Janeiro. Lau Fong Chi disse ainda que a DST está a analisar outros hotéis para serem usados para observação médica.

      Leong Iek Hou, coordenadora do Núcleo de Prevenção e Doenças Infecciosas e Vigilância da Doença, confirmou também na conferência de imprensa de ontem o 79.º caso de Covid-19 em Macau, o segundo da variante Ómicron. O paciente é um residente de 62 anos, que chegou dos Estados Unidos e estava em quarentena. Segundo a responsável, o homem, que tem três doses da vacina, manifesta sintomas ligeiros.

      Ontem foi também anunciada a nova função de leitura invertida no código de saúde. Esta função vai permitir que estabelecimentos ou serviços públicos possam fazer o registo do código, sem que seja necessário serem os cidadãos a fazê-lo. O objectivo, explicaram as autoridades, é facilitar o processo para idosos e crianças, por exemplo.

       

      PONTO FINAL