Edição do dia

Terça-feira, 25 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens quebradas
30.4 ° C
30.4 °
30.4 °
78 %
6.5kmh
83 %
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioCulturaEspaço urbano de Macau chega à Invicta  

      Espaço urbano de Macau chega à Invicta  

      “In-between this and something else”, que reúne trabalhados fotográficos de Nuno Cera, surge enquanto projecto paralelo integrado no ciclo de cinema documental DESIGNAgorà. A mostra decorre do livro “Macau. Diálogos Sobre Arquitectura e Sociedade” que reúne entrevistas realizadas a diversos arquitectos. A proposta passa, entre outras coisas, por uma reflexão sobre uma Macau ainda por vir.

       

      O espaço urbano de Macau está em destaque na cidade do Porto, em Portugal. “In-between this and something else” é o projecto que engloba um conjunto de fotografias e vídeos de Nuno Cera e a instalação sonora de Rui Farinha, partindo do livro “Macau. Diálogos sobre Arquitectura e Sociedade”, editado em 2019 por Margarida Saraiva e Tiago Saldanha Quadros, com chancela da Circo de Ideias.

      A exposição, produzida pela Babel – Organização Cultural e pela esad—idea, Investigação em Design e Arte, integra um programa de conversas, coordenado por Magda Seifert e Tomé Saldanha Quadros, e esta exposição acaba por ser um projecto paralelo do ciclo de cinema documental DESIGNAgorà, este ano dedicado ao tema Li(ea)ving Utopia.

      Até ao momento, as notícias vindas do Porto são positivas conforme explicou ao PONTO FINAL Tiago Saldanha Quadros. “Temos informações de que durante esta primeira semana a exposição recebeu muitos visitantes. Procurámos que esta exposição se apresentasse como um momento seminal no qual são ensaiados olhares sobre o desenvolvimento recente de Macau mas que, ao mesmo tempo, fosse propiciado o debate e a reflexão sobre um Macau ainda por vir”.

      “A instalação de Rui Farinha alude a esse contexto de incerteza que paira sobre Macau e, de certo modo, enuncia algumas das questões que serão abordadas tanto por José Bartolo como por Pedro Campos Costa. Nesse sentido, a exposição propõe olhares reflexivos, criativos e subjectivos sobre os desafios que a vida urbana em Macau coloca enquanto lugar de experimentação”, acrescentou o arquitecto, também responsável da Babel – Organização Cultural.

      “Macau. Diálogos Sobre Arquitectura e Sociedade”, recorde-se, reúne um conjunto de entrevistas realizadas por Tiago Saldanha Quadros a Hendrik Tieben, Thomas Daniell, Mário Duque, Wang Weijen, Diogo Burnay, Jianfei Zhu, Jorge Figueira, Werner Breitung e Pedro Campos Costa. Margarida Saraiva entrevista Nuno Cera. “As entrevistas não foram registadas em vídeo, apenas em áudio. E é esse áudio que foi manipulado por Rui Farinha e que surge enquanto instalação sonora no contexto desta exposição”, explica Tiago Saldanha Quadros.

      As entrevistas publicadas cruzam temas como arquitectura, cidade, fronteira, memória, representação e história. “A prática editorial da Babel funda-se muito na metodologia da entrevista e, nesse sentido, é natural que continue a integrar e fazer parte do nosso processo de trabalho”, refere ainda o arquitecto.

      Do lado da organização em Portugal, Tomé Saldanha Quadros, destaca a “importante a aproximação da academia à comunidade” e como esta exposição pode ajudar nessa intenção. “Para além de docente e vice-presidente do conselho pedagógico da Escola Superior de Artes e Design (esad), sou também coordenador de área de investigação da esad-idea, que entre outras iniciativas é responsável pela Porto Design Biennale, pelo que para a nossa instituição é extremamente importante a aproximação da academia à comunidade”, nota o académico.

      Tomé Saldanha Quadros revela ainda que a esad-ide é responsável pela programação de uma mesa redonda no dia 15 de Janeiro com José Bártolo e Pedro Campos Costa. A coordenação académica e científica estará a cargo do próprio e de Magda Seifert. “Deverá resultar uma publicação em livro prevista para o final de 2022, a qual contará com quatro ensaios, reflexão e debate crítico sobre o papel e o lugar da Imagem no Pós-Milénio”, adiantou, destacando, uma vez mais “a importância da literacia visual enquanto estratégia de cidadania cultural”.

      “In-between this and something else”, patente ao público, até dia 15 de Janeiro de 2022, na Galeria da Biodiversidade do Centro de Ciência Viva, propõe a desmaterialização do livro-objecto, em palavras-sons e imagens. O visitante é convidado a percorrer a cidade, onde paisagens, arquitecturas, infra-estruturas, passagens e destroços urbanos, são explorados numa contínua reflexão sobre o tempo, o espaço e suas transformações.

       

      PONTO FINAL