Edição do dia

Quinta-feira, 27 de Janeiro, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
21.3 ° C
22.7 °
20.9 °
83 %
2.6kmh
20 %
Qui
21 °
Sex
20 °
Sáb
19 °
Dom
16 °
Seg
14 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Política Ella Lei preocupada com acessibilidades para idosos e pessoas com mobilidade reduzida

      Ella Lei preocupada com acessibilidades para idosos e pessoas com mobilidade reduzida

      Numa interpelação escrita enviada ao Governo, a deputada pretende saber se estão a ser criadas condições na cidade para combater as dificuldades de mobilidade das pessoas idosas e com deficiência. Ella Lei tem visto pela cidade diversas situações em que considera que as acessibilidades são reduzidas ou inexistentes.

      A deputada Ella Lei, ligada à Federação das Associações dos Operários de Macau (FAOM), interpelou de forma escrita o Executivo liderado por Ho Iat Seng, questionando se as normas arquitectónicas para a concepção de design universal e livre de barreiras na RAEM estão a ser ponderadas e usadas nas obras públicas em andamento e projectadas.

      Para a deputada, eleita por sufrágio directo, Macau está a enfrentar o dilema do envelhecimento da população. Dados oficiais dos Serviços de Estatística e Censos, datados do final de 2020, revelam que as pessoas com 65 anos ou mais representam cerca de 12,9% da população total. Ao mesmo tempo, há ainda outros casos de pessoas que, não sendo idosas, apresentam dificuldades de mobilidade diversas, tendo de recorrer a cadeiras de rodas, por exemplo. “Tornou-se uma tarefa importante para o Governo da RAEM criar condições de mobilidade seguras e convenientes para os idosos, pessoas com deficiência, prestadores de cuidados e doentes crónicos”, escreveu Ella Lei na sua interpelação.

      Apesar de haver directrizes legais que garantem a concepção de design universal e livre de barreiras, ainda existe muita dificuldade em se implementar eficazmente as referidas directrizes e isso, “é uma questão de preocupação pública”. “Muitos idosos e pessoas com deficiência têm revelado que a falta de instalações sem barreiras, tais como elevadores em alguns viadutos, dificultou-lhes a mobilidade. Por exemplo, existem vários edifícios residenciais, escolas, restaurantes e serviços públicos nas proximidades da Avenida Dr. Rodrigo Rodrigues, no entanto, as dois viadutos para pedestres perto do edifício Nam Kwong e do restaurante Jurong não possuem instalações sem barreiras”, notou Ella Lei.

      A deputada da FAOM considera a situação “muito inconveniente”, demonstrando que os departamentos relevantes da administração pública “continuam a construir um ambiente de mobilidade com barreiras”. “É necessário que o Governo reveja e acompanhe as várias situações, de modo a criar um ambiente de mobilidade mais conveniente para os residentes e reduzir o fardo dos idosos e das pessoas com deficiência”.

      Ella Lei insta os departamentos públicos a reverem procedimentos e melhorarem as áreas e instalações existentes, por forma a facilitar o dia-a-dia das pessoas com mobilidade reduzida. Ao mesmo tempo, pretende saber se as obras públicas estão a seguir as normas arquitectónicas para a concepção de design universal e livre de barreiras do território, e consagradas na lei. Paralelamente, a deputada pretende saber se o sector privado também segue as directrizes. A parlamentar pretende ainda saber se o Governo pretende remodelar as antigas pontes pedonais, construindo equipamentos como elevadores.

      DEIXE UMA RESPOSTA

      Por favor escreva o seu comentário!
      Por favor, escreve aqui o seu nome