Edição do dia

Quarta-feira, 28 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
15.9 ° C
18.9 °
15.9 °
77 %
2.1kmh
40 %
Qua
20 °
Qui
21 °
Sex
17 °
Sáb
15 °
Dom
20 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Reforço de vacina contra a Covid-19 disponível para quase todos

      Reforço de vacina contra a Covid-19 disponível para quase todos

      A segunda fase da dose de reforço começou ontem. O Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus abriu o espectro a todos os que quiserem ser inoculados com mais uma dose de vacina. Para isso, cada indivíduo terá de ter levado a segunda dose de vacina há mais de seis meses. Vacinados com a tecnologia mRNA precisam de obedecer a certos requisitos.

       

      O Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus anunciou ontem, em comunicado de imprensa, que todos os residentes com 18 anos ou mais, vacinados com duas doses da vacina inactivada da chinesa Sinopharm há mais de seis meses, e sem contra-indicações à sua saúde, podem efectuar a marcação para receberem a dose de reforço.

      Contudo, a terceira dose só está disponível para os vacinados com as vacinas mRNA da germânica BioNTech segundo certos pressupostos. A vacina só pode ser tomada por pessoas com idade igual ou superior a 60 anos; por pessoas com idades compreendida entre 18 e 59 anos e que possuam imunidade relativamente baixa; e por pessoas com idades compreendidas entre 18 e 59 anos que tenham elevado risco de exposição ou maior impacto após a infecção.

      Ao mesmo tempo, as autoridades sanitárias relembram aos residentes que tenham sido inoculados anteriormente com a vacina mRNA, que “é recomendável que optem pelo mesmo tipo de vacina que administraram nas duas primeiras doses, contudo caso seja o seu desejo optar por outra, podem escolher uma outra vacina”.

      Os indivíduos cuja função imunológica seja relativamente baixa, nomeadamente aqueles que estejam em tratamento devido a cancro, doenças vasculares cerebrais, obesidade, doença pulmonar obstrutiva crónica, diabetes (tipo 1 e tipo 2), doenças cardíacas (como insuficiência cardíaca, doença arterial coronária ou cardiomiopatia), bem como doentes renais crónicos, fumadores ou ex-fumadores.

      De igual modo, pessoas actualmente definidas como tendo um alto risco de exposição incluem trabalhadores em instituições médicas, correccionais, instituições de serviços sociais, educação, estabelecimentos de observação médica; indivíduos que têm contacto frequente com pessoas doentes, idosos, pessoas com deficiência; pessoas que têm contacto frequente com pessoas do exterior ou com grande parte do público; indivíduos que residem em locais de residência colectiva; trabalhadores em postos fronteiriços, investigações epidemiológicas e cadeias de frio; trabalhadores que mantêm os serviços básicos da sociedade em funcionamento; indivíduos que pretendem se mudar para áreas de alto risco; outros indivíduos com alto risco de exposição ou com maior impacto após serem infectados. Os indivíduos com imunossupressão moderada a grave devem administrar a terceira dose da vacina contra a Covid-19, 28 dias após a administração da segunda dose.

      Desde o passado dia 9 de Novembro, as vacinas de reforço tornaram-se disponíveis em Macau para grupos considerados vulneráveis ​​e de risco, com mais de 1800 pessoas a terem já sido inoculadas com mais uma dose.

      Entretanto, a Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública emitiu ontem uma nota de imprensa onde “estimula a inoculação da terceira dose da vacina dos trabalhadores da Administração Pública”. “Os trabalhadores da Administração Pública podem, justificadamente, ausentar-se do serviço no dia da vacinação da terceira dose ou no dia seguinte”, pode ler-se na nota.

      Nas orientações, também transmitidas internamente em cada serviço público, “é enfatizado que os trabalhadores da Administração Pública têm a responsabilidade de seguir as medidas de prevenção de epidemia promovidas pelo Governo da RAEM, devendo assim inocular duas vacinas contra a Covid-19, por forma a assegurar a sua própria saúde, a da sua família e a do público”.

      Cerca de 70% da população de Macau já recebeu, pelo menos, a primeira dose de vacina contra a Covid-19. A percentagem ainda está longe do esperado pelas autoridades que têm vindo a dizer que um possível alívio de restrições, nomeadamente, diminuição de quarentenas ou até mesmo uma abertura com Hong Kong só poderão ser equacionadas com uma taxa de vacinação acima dos 80%.

      Dados relativos ao dia de ontem mostram que foram administradas até ao momento 863.937 doses de vacinas contra a Covid-19. 475.252 pessoas foram inoculadas, sendo que a primeira dose já foi administrada a 79.900 indivíduos e 393.468 pessoas estão totalmente imunizadas, com duas doses. 1.884 pessoas já foram vacinadas com a terceira dose. Nas últimas 24h, ocorreram 19 notificações de eventos adversos (19 eventos adversos ligeiros e nenhum grave, tendo sido sete casos relacionados com a vacina inactivada da chinesa Sinopharm e 12 casos da vacina mRNA da germânica BioNTech). Desde o início do programa de vacinação em Macau que ocorreram 3.643 notificações de eventos adversos, tendo sido a sua maioria (3.635) considerados adversos ligeiros e apenas oito graves.

       

      PONTO FINAL