Edição do dia

Quinta-feira, 22 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
neblina
21.9 ° C
25.4 °
20.9 °
100 %
3.1kmh
75 %
Qui
23 °
Sex
21 °
Sáb
20 °
Dom
21 °
Seg
20 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Desporto Lázaro Oliveira discute forma de regressar a Macau

      Lázaro Oliveira discute forma de regressar a Macau

      O seleccionador de futebol do território regressou a Portugal em Março de 2020 e, até ao momento, ainda não conseguiu voltar a Macau devido às restrições apertadas que foram criadas aos estrangeiros no combate à pandemia de Covid-19. A Associação de Futebol de Macau negociou um acordo até ao regresso, depois voltarão aos moldes do contrato.

       

      O seleccionador de futebol da RAEM, Lázaro Oliveira, continua na expectativa de voltar ao território, só não sabe quando. Em conversa breve com o PONTO FINAL, o angolano disse que “as perspectivas mantém-se em aberto”. “Estamos a articular com a Associação de Futebol de Macau uma solução que permita o nosso regresso ao território de Macau”, referiu.

      Do lado da Associação de Futebol de Macau (AFM) surge a confirmação. “Lázaro Oliveira continuará a ser o seleccionador de futebol de Macau. Depois de terminado o contrato no final do ano passado, conseguimos fazer um acordo que foi aceite até as fronteiras voltarem a estar abertas para estrangeiros. Quando voltar a Macau, faremos um novo contrato. Antes da abertura da fronteira, nada podemos fazer”, explicou Chan Keng Hou, secretário-geral do organismo.

      O trabalho é feito diariamente, à distância, e ambas as partes comunicam frequentemente. “Para além dos esquemas de treino que são enviados frequentemente, nós aqui gravamos os treinos e enviamos para Portugal para serem visualizados por ele”, explicou ainda o responsável da AFM fazendo alusão ao método possível de trabalho, mediante as condições existentes.

      Lázaro Oliveira, de 54 anos, juntamente com o treinador adjunto Pedro Simões, de 47 anos, já tinham estado em Macau, onde residiam na vila de Coloane, mas ambos acabaram por voltar para Portugal porque no início de 2020, praticamente estavam “apenas a fazer trabalho de gabinete”, conforme confidenciou, na altura, ao jornal A Bola.

      O antigo treinador de Portimonense, Penafiel e Farense, que fez carreira como jogador no Estrela da Amadora e no Estoril-Praia, entre outras equipas, voltou a Portugal sem bilhete de regresso e, numa primeira fase, a ideia seria voltar antes do Verão de 2020, mas as restrições fronteiriças levantadas pelas autoridades locais a indivíduos estrangeiros estragaram os planos de Lázaro Oliveira que se mantém em Portugal à espera de novidades que permitam o seu regresso.

      Recorde-se que o treinador foi contratado pela Associação de Futebol de Macau (AFM), por um ano, para substituir Ieong Cho Ieng, numa altura em que o futebol ao nível de selecções em Macau passava por um período conturbado, uma vez que a FIFA multou a AFM em dez mil francos suíços por falhar o jogo da segunda mão da qualificação asiática para o Mundial de 2022, contra o Sri Lanka. Na altura, o organismo que gere o futebol mundial atribuiu uma derrota a Macau por 3-0, no jogo da segunda mão agendado para Colombo. A selecção local tinha até ganho o encontro da primeira mão, disputado em Zhuhai, pela margem mínima, com um golo do defesa-central Filipe Duarte.

      Para além da equipa principal, Lázaro Oliveira também assumiu o comando técnico da equipa de Sub-23. Na ausência dos treinadores, acaba por ser o antigo seleccionador a orientar os treinos no relvado, implementando as ideias e os esquemas de treinos enviados por Lázaro Oliveira.

      A dupla de treinadores continua a fazer o seu trabalho à distância e é paga ao abrigo do plano de desenvolvimento das modalidades implementado pelo Instituto do Desporto. O processo do visto de trabalho dos dois técnicos, já está concluído, revelaram as autoridades em Julho de 2020, ao Jornal Tribuna de Macau.

      Em declarações ao jornal Record, a 20 de Março de 2020, Lázaro Oliveira, que chegou a Macau em Outubro de 2019, referiu que a vinda para Macau implicava “introduzir algumas ideias profissionais num futebol amador, reorganizar o quadro competitivo”.

       

      PONTO FINAL