Edição do dia

Segunda-feira, 26 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
13.9 ° C
14.9 °
13.9 °
77 %
7.7kmh
40 %
Seg
19 °
Ter
19 °
Qua
20 °
Qui
22 °
Sex
16 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Política Deputados preocupados com recuperação económica

      Deputados preocupados com recuperação económica

      André Vinagre

      Nesta, que foi a primeira reunião plenária da 7.ª legislatura, o tema da recuperação económica de Macau durante a epidemia esteve em destaque. Dos 27 deputados que pediram a palavra no período antes da ordem do dia, 12 abordaram a questão, pedindo apoios para empresas e cidadãos.

       

      Realizou-se ontem a primeira reunião da 7.ª legislatura da Assembleia Legislativa. Com dez caras novas, o hemiciclo focou-se nas questões relacionadas com a recuperação económica numa altura em que os efeitos da pandemia estão a provocar danos.

      O primeiro a falar do assunto foi Ho Ion Sang, que lembrou que a pandemia afectou “gravemente” os sectores do jogo e do turismo, “pilares da economia” de Macau. “Face à epidemia, a vida da população está difícil e a sociedade espera que se mantenham inalterados os actuais benefícios e a qualidade de vida, para aliviar os seus encargos económicos”, afirmou. Assim, o deputado eleito agora pela via indirecta sugere que, “além de aproveitar os dois meses que restam deste ano para atrair mais turistas e continuar a promover o desenvolvimento económico, o Governo deve ainda impulsionar, de forma acelerada, a diversificação adequada da economia, reforçando a capacidade de Macau quer na adaptação às mudanças do ambiente do exterior quer na resistência aos riscos”.

      Leong Sun Iok também quis falar sobre as dificuldades socioeconómicas trazidas pela pandemia: “Sob o impacto contínuo da epidemia, muitos lojistas encontram-se em dificuldades, muitos trabalhadores estão desempregados e os rendimentos das famílias diminuíram”. Por isso, o deputado propõe que o Governo melhore os dados sobre o impacto da epidemia na economia, na sociedade e na vida da população; que melhore o ‘software’ e o ‘hardware’ para a prevenção e combate à epidemia; que estabeleça um novo modelo de funcionamento socioeconómico dentro do contexto da epidemia; e flexibilize os requisitos para a atribuição de subsídios e reforce as medidas de incentivo ao emprego.

      Lam Lon Wai focou-se no reforço da vacinação como forma de recuperar a economia. “O Governo deve tomar como referência as medidas tomadas por outros países para encorajar a vacinação, de modo a aumentar a taxa de vacinação e promover a rápida recuperação da economia, a fim de assegurar o emprego”, afirmou, sugerindo também que as autoridades de saúde avancem para a aplicação de uma terceira dose da vacina.

      Ella Lei sugeriu que o Executivo implementasse mais medidas de apoio económico “para aliviar as dificuldades da população e assegurar o emprego. A deputada indicou que, apesar de o Governo ter lançado recentemente um conjunto de oito medidas para algumas pequenas e médias empresas, “muitos residentes desempregados ou em subemprego e muitas PME afectadas pela epidemia dizem que não são beneficiados, por isso, sentem-se bastante desamparados”.

      Por isso, a deputada ligada à Federação das Associações dos Operários de Macau (FAOM) sugeriu que o Governo estudasse a concessão de um apoio directo às empresas ou a trabalhadores obrigados a suspender o trabalho devido à epidemia. Ella Lei pediu também para o Governo ponderar o recarregamento do cartão de consumo com mais 8 mil patacas.

      “A recuperação económica sob a epidemia não é nada optimista, as PME continuam a encontrar dificuldades de negócio, os residentes deparam-se com dificuldades no acesso ao emprego, e muitos são obrigados a tirar férias sem vencimento”, afirmou Ngan Iek Hang na sua primeira intervenção na AL. O deputado indicou que “o Governo deve reforçar os seus trabalhos para atrair mais visitantes das regiões de baixo risco e, em conjugação com os vários programas de viagens locais já realizados, criar mais itinerários inovadores e interessantes para os visitantes, por exemplo, a viagem de gastronomia local, o passeio de cultura aprofundada, o passeio de lazer à beira-mar, o passeio ecológico, etc.”.

      Wang Sai Man apelou à vacinação e propôs que o Governo conceda um apoio aos comerciantes das zonas de confinamento, que “sofreram grande pressão nas despesas com os custos fixos, como, rendas, recursos humanos, água e luz”. “Ao mesmo tempo, sugere-se ao Governo que lance instruções científicas, claras e precisas para a prevenção da epidemia, permitindo aos sectores ou estabelecimentos comerciais que reúnam condições a exploração limitada das suas actividades, sob a premissa de tomarem boas medidas de prevenção da epidemia”, referiu o deputado eleito por sufrágio indirecto.

      Wong Kit Cheng também usou a sua intervenção antes da ordem do dia para falar sobre a recuperação económica. “A epidemia não vai desaparecer a curto prazo, a situação económica de Macau, em que o turismo continua a ser a indústria predominante, continua a ser pessimista”, disse a deputada, apresentando três sugestões: o aperfeiçoamento das medidas de prevenção e

      Controlo da epidemia; a manutenção dos apoios à população, alargando o espectro dos destinatários; e a diversificação económica.

       

      PONTO FINAL