Edição do dia

Quarta-feira, 28 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
15.9 ° C
18.9 °
15.9 °
77 %
2.1kmh
40 %
Qua
20 °
Qui
21 °
Sex
17 °
Sáb
15 °
Dom
20 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Conferência da Associação de Psicologia de Macau debateu saúde mental dos jovens...

      Conferência da Associação de Psicologia de Macau debateu saúde mental dos jovens durante a pandemia  

       

      Realizou-se no domingo a conferência anual da Associação de Psicologia de Macau (APM), através da plataforma online Zoom, tendo reunido mais de 300 psicólogos e académicos especialistas no desenvolvimento psicológico dos jovens e adolescentes. O evento, com o tema de 2021 “Construir o Coração da Juventude – Desenvolvimento Psicológico Positivo na Era Pós-Epidemia”, procurou reflectir acerca das mudanças e desafios catapultados pelo surgimento da pandemia e que têm abalado a saúde mental e o bem-estar psicológico das camadas mais jovens da comunidade.

       

      Joana Chantre

       

      A Associação de Psicologia de Macau (APM) organizou no domingo passado a sua conferência anual, através da plataforma Zoom. O evento, que teve como tema “Construir o Coração da Juventude – Desenvolvimento Psicológico Positivo na Era Pós-Epidemia”, contou com mais de 300 especialistas na área.

      Num comunicado enviado às redacções, o grupo explica que a pandemia está a colocar em risco o bem-estar psicológico das pessoas, nomeadamente crianças e adolescentes que estão a crescer num ambiente instável onde a sua saúde mental é desafiada diariamente pela pressão familiar e pelas limitações causadas pelas várias medidas preventivas.

      A presidente da APM, Chang Mei Zhen, é citada na nota da associação dizendo que “a epidemia testou a resiliência psicológica das pessoas e vários estudos e inquéritos revelaram que crianças e adolescentes têm desenvolvido problemas emocionais durante a epidemia”. A associação destaca também que o Governo da RAEM tem desenvolvido activamente vários serviços nos últimos anos para fazer face à situação, mas os serviços existentes são ainda limitados e carecem de disposições coerentes e sistemáticas.

      Assim, a associação recomenda que, em conformidade com a política nacional de educação, o desenvolvimento do currículo da saúde mental seja reforçado e que a educação sobre saúde mental seja incorporada no currículo escolar das escolas primárias e secundárias. Além disso, o cultivo e a compreensão das emoções por parte dos alunos ajuda a aumentar a sua consciência de auto-ajuda, ajuda mútua e procura de ajuda desde uma idade precoce, sublinha a APM.

      De entre os investigadores que participaram no evento, estiveram Wang Jianping, professor do Departamento de Psicologia da Beijing Normal University, Lam Shui Fong, professor do Departamento de Psicologia da Universidade de Hong Kong, e Lee Sio Rong, psicólogo e Secretário-Geral da Associação de Taiwan para a Promoção do Bem Estar Emocional. No total, houve mais de 300 participantes, na maioria profissionais e membros de diferentes unidades de serviços em Macau. Participaram também conselheiros estudantis, psicólogos, psicoterapeutas, assistentes sociais, professores e profissionais médicos.

      Ho Chi Wing, membro da APM, falou sobre a importância da conexão entre as famílias, escolas, instituições médicas e a comunidade em geral para fazer face à pandemia. Segundo a APM, o seminário explorou como desenvolver actividades e programas psicológicos positivos de forma sistemática para aumentar a capacidade de adaptação dos jovens face à epidemia, reunindo a família, a escola, as instituições médicas e os recursos comunitários.

      Por fim, a APM diz esperar que, através desta conferência, se possa aproveitar a experiência de diferentes regiões para criar um ambiente ideal para o crescimento das crianças e jovens em Macau, e trabalhar em conjunto para promover a sua saúde mental.

       

      PONTO FINAL