Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
14.9 ° C
14.9 °
14.9 °
77 %
8.8kmh
40 %
Qui
15 °
Sex
16 °
Sáb
14 °
Dom
20 °
Seg
21 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Lusofonia ONU lança programa para aumentar participação das mulheres nas eleições em Timor-Leste

      ONU lança programa para aumentar participação das mulheres nas eleições em Timor-Leste

      As Nações Unidas lançaram ontem, com o apoio do Governo japonês, um programa que visa aumentar a participação das mulheres nas eleições em Timor-Leste, avaliado em cerca de 100.000 dólares, anunciaram em comunicado.

      “Com o generoso apoio do Governo do Japão, através do Projeto covid-19 Eleições Resilientes em Timor-Leste (CORE-TL), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Género e o Empoderamento das Mulheres (UN Women) lançaram a parceria de 100.000 dólares para aumentar a participação e representação das mulheres nas eleições em Timor-Leste”, anunciam as duas entidades das Nações Unidas, na nota conjunta divulgada ontem.

      O lançamento desta parceria PNUD-UN Women’s, que decorre até 28 de Fevereiro de 2022, foi assinalado ontem, num evento em que foi feita a assinatura virtual do documento. “Esta parceria visa promover a participação igualitária e inclusiva nas próximas eleições, a nível nacional, municipal e de suco”, adianta-se na nota.

      Assim, o PNUD e a UN Women vão trabalhar conjuntamente para promover a igualdade de direitos de mulheres e homens na participação política, através dos meios de comunicação social e canais locais, e promover normas de igualdade de género e uma atitude transformadora, no sentido de uma participação igualitária nas próximas eleições no país, explica. “A representação e participação das mulheres na política é um pré-requisito fundamental para a igualdade de género e governação democrática. Apesar do notável progresso na promoção da participação das mulheres na política a nível nacional nos últimos anos, Timor-Leste ainda enfrenta muitos desafios, tais como estereótipo e preconceitos de género profundamente enraizados, normas sociais e culturais injustas, falta de apoio familiar e comunitário, acesso limitado à rede política e nenhum apoio adequado no desenvolvimento de competências e capacidades”, afirma Munkhtuya Altangerel, representante do PNUD naquele país, citada no comunicado.

      Além disso, “a pandemia da covid-19 tem sido, e continua a ser, uma crise global indiscutível, com consequências socioeconómicas evidentes e riscos para a saúde pública, especialmente para as mulheres”, acrescenta. Assim, a prossecução de umas eleições resistentes num contexto de pandemia em “Timor-Leste é ainda mais crítica, não só para garantir a segurança pública durante os processos democráticos críticos, mas também para reforçar a voz das mulheres e dos grupos marginalizados em posições de tomada de decisão, no momento da recuperação” disse Munkhtuya Altangerel.

      A UN Women lançará um programa de formação de liderança em Díli e outros municípios para reforçar a liderança, comunicação, criação de redes e advocacia para líderes atuais e aspirantes a isso, de diversas origens, incluindo mulheres com deficiência.

      Esta formação procura aumentar a capacidade e os conhecimentos dos participantes com o objetivo de promover “a igualdade de género e o empoderamento das mulheres e reforçar a utilização de princípios e práticas de liderança que respondam às questões de género e transformadoras”, adianta-se na nota.

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau