Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Setembro, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.9 ° C
29.4 °
27.9 °
89 %
6.2kmh
40 %
Qui
28 °
Sex
28 °
Sáb
29 °
Dom
29 °
Seg
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Economia Experiência da Las Vegas Sands foi determinante na atribuição de concessão, indicou...

      Experiência da Las Vegas Sands foi determinante na atribuição de concessão, indicou David Green

      A experiência da Las Vegas Sands teve um peso significativo para a atribuição de uma concessão de jogo quando o Governo avaliou as propostas de há quase 20 anos, disse David Green, membro de uma equipa de consultoria contratada pelo Governo de Macau na altura. Green foi uma das testemunhas ouvidas no âmbito do processo judicial interposto pela Asian American cujo alvo é a operadora norte-americana.

      Na sessão de sexta-feira do processo judicial interposto pela Asian American à Las Vegas Sands, foi chamado a testemunhar David Green, membro da equipa de consultoria contratada pelo Governo de Macau aquando da liberalização da indústria do jogo, em 2002, para a atribuição de licenças para casinos. De acordo com o portal GGRAsia, em tribunal, Green confirmou que a experiência da Las Vegas Sands foi preponderante na atribuição de uma concessão de jogo por parte do Governo de Macau.

      Recorde-se que a gigante americana de casinos Las Vegas Sands está a enfrentar um processo judicial em Macau interposto pela Asian American, que pede uma indemnização na ordem das 96 mil milhões de patacas. O ex-parceiro da Sands, a Asian American Entertainment Corporation, liderada pelo empresário taiwanês Marshall Hao, pede uma indemnização de cerca de 70% dos lucros de Sands em Macau entre 2004 e 2022, o que se estima que seja um número na ordem das 96 mil milhões de patacas. O tribunal está agora a tentar perceber se a Sands violou o contrato que tinha com a Asian American para uma licença de casino em Macau.

      A parceria entre a Sands e a Asian American surgiu em 2001, quando ambos apresentaram em conjunto uma oferta para uma concessão de jogo. Durante o processo, a Sands trocou de parceiros, formando uma parceria com o grupo Galaxy Entertainment.

      Na sessão de sexta-feira, David Green explicou que as propostas da Galaxy e da Asian American teriam sido classificadas com a mesma pontuação por parte da empresa de consultoria Arthur Andersen, isto se a Las Vegas Sands não tivesse decidido entrar na corrida ao lado de uma delas.

      Depois de a Las Vegas Sands e a Asian American terem feito cair a sua parceria, a Las Vegas Sands juntou-se à Galaxy e a empresa de consultoria foi instruída a juntar a pontuação dos americanos à da Galaxy. Esta instrução foi dada verbalmente à Arthur Andersen por Jorge Oliveira e Manuel Neves, membros da comissão do concurso, assinalou David Green, acrescentando que a nova orientação foi aprovada por Francis Tam, na altura secretário para a Economia e Finanças.

      “Que eu me lembre, a Galaxy não tinha nenhuma experiência de jogo verificada”, disse David Green, citado pelo GGRAsia. A classificação da Arthur Andersen não teve em conta a associação da Galaxy à construção e exploração de hotéis, uma vez que os hotéis não eram quaisquer serviços “auxiliares” aos jogos de casino, disse Green no tribunal.

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau

      DEIXE UMA RESPOSTA

      Por favor escreva o seu comentário!
      Por favor, escreve aqui o seu nome